Eventos

LEME convida a todos para Mini Simpósio de Estudos sobre o Futebol

O Laboratório de Estudos em Mídia e Esporte (LEME) convida a todos para o evento: Mini Simpósio de Estudos sobre o Futebol que acontecerá, no dia 16 de outubro, a partir das 18h, no Salão Nobre (Sede Gávea do Clube de Regatas do Flamengo).

O evento contará com a presença dos professores Ronaldo Helal (coordenador do LEME), Lívia Magalhães e Renato Coutinho.

5c68826a-eff4-41a5-9e90-08554793f3ef

Anúncios
Eventos

13º Encontro LEME 2018

Encontros LEME é uma proposta do Laboratório de Estudos em Mídia e Esporte que visa a partir da leitura de textos e análise de produções fílmicas realizar debates com professores, pesquisadores, graduandos e convidados interessados em estudar as interseções da Comunicação com o Esporte. Os encontros têm ocorrido semanalmente e pretendem oferecer um espaço de diálogo e formação acadêmica.

Realizaremos o 13º encontro na quarta-feira, dia 17 de outubro, com início às 13h30. Nesse dia, contaremos com a presença de Nicolás Cabrera para debater sobre De barras, porras e torcidas organizadas: estudo comparativo de torcedores de futebol da América Latina. Nicolás Cabrera é argentino, doutorando em Antropologia Social na Universidade de Córdoba.

A programação completa e os conteúdos que serão debatidos podem ser encontrados no blog “Comunicação e Esporte” e na página do LEME no Facebook (@lemeuerj).

 

Data: 17/10/2018

Horário: 13h30 às 15h

Local: Auditório do PPGCom

Público: Alunos de graduação e pós e demais interessados no tema.

Coordenação: Prof. Ronaldo Helal

Orientação: Leda Costa

 

*A participação nos encontros contará horas-aula para os alunos presentes.

NICO_BASE_testeira_encontroleme2018_13-Recuperado

Artigos

Com gestos sutis, o jornalismo esportivo também endossa cultura que naturaliza a barbárie

Omissão e postura de aceitação e normalidade do radicalismo só resultará em manipulação com o intuito de destruir os já frágeis pilares de nossa democracia

Não é segredo que trabalho na área de esportes de um grande grupo de comunicação. Poderia usar a estrutura e espaço que tenho neste veículo de mídia para debater com milhares de pessoas temas como o combate à homofobia no esporte. No entanto, sou obrigado a tratar do tema apenas por aqui, um blog.

Não foi por falta de tentativas. A mais recente em agosto, uma reportagem que propus sobre os Jogos Gays, similar a uma Olimpíada, em que cerca de 10000 atletas da comunidade LGBT praticamente bancam do próprio bolso a participação nas competições. Mas “para não dar bandeira”, a sugestão foi para a gaveta. Outras pautas, como “a pouca presença de negros em cargos de chefia no futebol”, tampouco foram adiante por não terem aval para serem produzidas.

É de espantar como o mundo do esporte em geral ainda demonstra extrema dificuldade e pouco esforço em abandonar atitudes másculas e viris para brecar discussões necessárias sobre questões raciais e de gênero, por exemplo. Desde o “esporte é coisa de homem”, passando pelo “mimimi” e “esporte e política não se misturam”. Não surpreendem, portanto, nesse ambiente hostil que veste uma carapuça de “popular”, manifestações preocupantes como a da torcida do Atlético-MG no último domingo no clássico contra o Cruzeiro no Mineirão.

O jornalismo, nesse contexto, tem o dever de ser um importante instrumento na tentativa de formar uma nova cultura de torcer, capaz de enfrentar qualquer discriminação. No entanto, alguns profissionais da área não hesitam em ir na contramão desse objetivo. A imprensa esportiva, viciada em tratar o esporte apenas como um fenômeno técnico, e não cultural, escorrega quando se acha capacitada para “mexer na ferida”.

Todos conhecem a personalidade de Felipe Melo. Não vai mudar. O volante palmeirense incita e pratica a violência dentro e fora de campo sem qualquer pudor há muito tempo. Felipe amplifica, graças à sua fama, o pensamento político do candidato que lidera a corrida pela Presidência do Brasil, como aconteceu também no último domingo, na partida contra o Bahia, quando dedicou seu gol no empate em 1 a 1 a Jair Bolsonaro.

felipe-melo1
Fonte: Torcedores

Diante do já conhecido comportamento do jogador, por que insistir em dar voz a quem transforma uma mera entrevista em palanque de incitação ao ódio, à homofobia e ao machismo? Para fisgar mais uma declaração polêmica? Para “bombar” e viralizar uma reportagem?

Manifestações políticas são válidas desde que tenham o objetivo de promover os reais valores da democracia, como a justiça e a inclusão, também compartilhados pelo bom jornalismo. Para esses momentos, o microfone deve estar sempre aberto. Mas este, seguramente, não é o caso da ideologia e retórica que permeiam Bolsonaro e seus seguidores. O repórter e o formador de opinião precisam ter esse discernimento e conhecer a linha que divide liberdade de expressão e discurso preconceituoso.

Ao cobrir Felipe Melo sob o manto da “liberdade de expressão”, como fez um artigo de opinião no site do canal “SporTV”, o jornalismo esportivo dá sua contribuição para a naturalização indevida da barbárie. Essa postura “liberal”, de aceitação, normalidade e inserção do radicalismo nas “regras da democracia”, como o próprio artigo descreve, só resultará em uma manipulação do jornalismo com o intuito de destruir os já frágeis pilares de nossa democracia. Típico das figuras totalitárias que a história não se cansa de nos recordar. Nós, jornalistas esportivos, não podemos ser reféns dessa armadilha.

Eventos

12º Encontro LEME 2018

Encontros LEME é uma proposta do Laboratório de Estudos em Mídia e Esporte que visa a partir da leitura de textos e análise de produções fílmicas realizar debates com professores, pesquisadores, graduandos e convidados interessados em estudar as interseções da Comunicação com o Esporte. Os encontros têm ocorrido semanalmente e pretendem oferecer um espaço de diálogo e formação acadêmica.

Realizaremos o 12º encontro na quarta-feira, dia 10 de outubro, com início às 13h30. Nesse dia, contaremos com a presença de Cilene Lima para debater sobre Aventura, Performance, Sofrimento Construção de corporalidades em Esportes de Aventura. Cilene Lima fez mestrado pelo Programa de Pós-graduação em Antropologia, da Universidade Federal Fluminense, desenvolvendo pesquisas na linha de Antropologia do Corpo e do Esporte.

A programação completa e os conteúdos que serão debatidos podem ser encontrados no blog “Comunicação e Esporte” e na página do LEME no Facebook (@lemeuerj).

 

Data: 10/10/2018

Horário: 13h30 às 15h

Local: Auditório do PPGCom

Público: Alunos de graduação e pós e demais interessados no tema.

Coordenação: Prof. Ronaldo Helal

Orientação: Leda Costa

 

*A participação nos encontros contará horas-aula para os alunos presentes.

POSTFB_encontrosleme2018_12.png

Eventos

LEME esteve presente na 28ª Edição da UERJ Sem Muros e na 27ª Semana de Iniciação Científica

No dia 28 de setembro de 2018, o Laboratório de Estudos em Mídia e Esporte (LEME) esteve presente na 28ª edição da UERJ Sem Muros e na 27ª Semana de Iniciação Científica da UERJ. Durante a exposição da Graduação, a bolsista do Laboratório, Clara Quintaneira, orientada pelo professor Ronaldo Helal, apresentou o projeto desenvolvido no… Continuar lendo LEME esteve presente na 28ª Edição da UERJ Sem Muros e na 27ª Semana de Iniciação Científica

Avalie isto:

Artigos

Sobre silêncios

Felipe Melo é um jogador que tenta construir uma imagem de sujeito sincero e sem meias palavras, o que inclui as declarações que o fazem parecer palmeirense desde criança, até as várias manifestações favoráveis ao uso da violência em campo e fora dele. Porém, Felipe Melo não se limita a palavras. Ano passado, por exemplo,… Continuar lendo Sobre silêncios

Avalie isto: