Artigos

#RetrospectivaLEME: ídolos e memórias no esporte

O que seria do esporte se não tivéssemos os ídolos? Grandes figuras que fizeram – ou fazem – história e deixam um legado no mundo esportivo. Vamos destacar a seguir produções do LEME em que este assunto foi abordado.

O Rei brasileiro
Em 2020, Pelé completou 80 anos de vida. Para homenagear e celebrar os feitos de um dos maiores ídolos do futebol mundial, convidamos para o Passes e Impasses o doutorando em Antropologia Diano Massarani e o doutorando em História Social Nathan Barbosa.

El diez argentino
O final de 2020 também foi marcado por uma grande perda para o esporte. Diego Armando Maradona morreu aos 60 anos, deixando um enorme legado e uma legião de fãs e admiradores. Embora fosse um craque indiscutível dentro de campo, fora dele seu comportamento era controverso. Para homenagear essa figura complexa, Alvaro do Cabo escreveu para o blog do LEME o texto “Maradona – uma reverência além do Bem e do Mal”.

Tristeza
Outro ídolo que nos deixou precocemente foi o ex-jogador de basquete Kobe Bryant. Em uma tragédia que vitimou o ídolo e sua filha, também jogadora de basquete, Gianna Bryant, o mundo do esporte ficou de luto. Kobe era um atleta exemplar e vencedor, e Gianna, uma jovem jogadora promissora. Tivemos duas homenagens a eles no blog do LEME, a primeira, de Marina Mantuano no texto “Uma crônica para Kobe Bryant”, e a segunda, de Clara Quintaneira em “Kobe Bryant: para sempre um ídolo”.

Mané
Outro ídolo homenageado foi Mané Garrincha. Em texto que leva o nome do craque, Phelipe Caldas presta uma homenagem no blog do LEME ao “anjo das pernas tortas” relembrando os lances desse personagem que entortava os marcadores e levava a torcida à loucura com seus lances espetaculares.

Zagallo
Em mais lembranças e homenagens aos ídolos do esporte, tivemos ainda o texto de Diego Ramalho: “Zagallo, o coadjuvante revolucionário”. Diego relembra a genialidade de Mario Jorge Lobo Zagallo, que atuou como jogador e treinador, tendo o recorde de títulos em Copas do Mundo – quatro títulos (dois como jogador [58 e 62], um como treinador [70] e um como assistente técnico [94]).

Carrasco
Em 2020, completaram-se 70 anos do Maracanã e, também, do Maracanazo. Se muitos preferem atribuir a perda do título ao goleiro Barbosa, Phelipe Caldas reconhece os méritos da Seleção uruguaia e escreve, para o blog do LEME, uma “Carta para o amigo Ghiggia”, autor do gol do título.

Enfim, ídolos!
Para fechar essa retrospectiva com chave de ouro, relembramos o nosso décimo primeiro episódio do Passes & Impasses, que contou com a presença dos pesquisadores do LEME Fausto Amaro e Leda Costa e do professor e coordenador do LEME Ronaldo Helal. Eles comentaram as narrativas criadas sobre a figura do ídolo e do herói.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s