Artigos

#RetrospectivaLEME: Maracanã 70 anos

O ano de 2020 foi marcado por diversos acontecimentos no mundo do esporte. Um dos principais foi a comemoração dos 70 anos do Estádio Jornalista Mário Filho. O LEME realizou um evento para lembrar a trajetória do eterno maior do mundo, além de publicar em seu blog diversos textos sobre o estádio.

O Maracanã e suas histórias
Fundado em 1950, o Maracanã já foi palco de diversos eventos culturais. Engana-se quem pensa que só de jogos de futebol vive o estádio. Na época de sua fundação, ficava localizado no bairro da Tijuca, passando a se chamar Maracanã em 1981. Rafael Casé, em um artigo para o blog do LEME, trouxe para os leitores mais diversas histórias do estádio.

#Maraca70
A história do Maracanã começa a ser escrita em 1938, quando Jules Rimet, presidente da Federação Internacional de Futebol – FIFA, visitou o Rio de Janeiro e aceitou a candidatura brasileira para sediar a Copa do Mundo de 1950. No episódio 18 do Passes & Impasses, convidamos Luiz Antônio Simas para nos contar um pouco mais sobre a história do estádio.

Fatídico dia
Em julho de 2020, outro fato histórico completou 70 anos. A derrota brasileira na final contra o Uruguai, ocorrida no dia 16 de julho de 1950, no Maracanã, é uma parte da história do estádio que todos gostariam de esquecer. Para falar sobre este episódio, que ficou conhecido como Maracanazo, organizamos uma edição especial dos Encontros LEME. O vídeo das palestras está disponível em nosso canal no YouTube.

O evento
Entre os dias 5 e 7 de outubro, realizamos o Seminário #Maraca70. Diversos nomes reconhecidos no meio jornalístico e acadêmico puderam contar um pouco de suas vivências, leituras e pesquisas sobre o Maracanã, refletindo também sobre a presença do estádio na história do futebol brasileiro. Todas essas palestras também podem ser encontrados em nosso canal no Youtube.

Artigos

#RetrospectivaLEME: e os Jogos Olímpicos de 2020?

A expectativa criada em torno do ano de 2020 no mundo do esporte era enorme. Infelizmente, por conta da pandemia, os Jogos Olímpicos e Paralímpicos acabaram sendo adiados para 2021, ainda sob a incerteza de sua realização. Neste post, vamos destacar produções do LEME sobre a temática olímpica. Segue o fio!

A primeira vez
Vocês sabem quando foi a primeira participação olímpica do Brasil? Foi há exatos 100 anos, em 1920. Esse assunto foi tema do 10º episódio do Passes & Impasses. Fausto Amaro, coordenador técnico do LEME e especialista em estudos olímpicos, foi o nosso convidado para este episódio.

Paralimpíada
Depois dos Jogos Olímpicos, começa a Paralimpíada. As competições se uniram em 1960, nos jogos de Roma, e desde então a dobradinha é tradicional. Para falar sobre os impactos da pandemia nos esportes paralímpicos, o Passes & Impasses recebeu o professor José Carlos Marques e o atleta do Futebol de 5 Maurício Dumbo.

Incertezas
O cancelamento dos jogos, com a possibilidade ainda incerta de realização em 2021, trouxe muita insegurança para entidades e atletas. Andréa Bruxellas, em seu texto para o blog do LEME, falou sobre a transformação dos Jogos Paralímpicos em “Jogos de resilência e força” e da expectativa de celebração da vida nos possíveis Jogos de 2021.

Atletas paralímpicos
Se a situação dos esportistas de modo geral ficou complicada durante a pandemia, vocês já pararam para pensar em como ficou a dos atletas paralímpicos? Com bem menos investimentos e lugares mais restritos para treinar, eles foram deixados à própria sorte. E pior do que isso, com pouquíssima visibilidade na grande mídia. Para falar sobre isso no blog do LEME, Carol Fontenelle escreveu o texto “Atletas paralímpicos: os invisíveis durante a quarentena”.

Curiosidades
Você sabia que antigamente existiam as “Competições Olímpicas de Artes”? Como explica Leda Costa em seu texto para o blog do LEME, “Competições olímpicas de arte e a história das mulheres no esporte”, elas surgiram com o objetivo de unir esporte, arte e literatura, além de marcarem a afirmação das mulheres no universo do esporte

Legado Olímpico
Não tem como falar de Olimpíadas sem lembrar da RIO2016. As competições deixaram marcas visíveis e invisíveis na cidade, que são sentidas até hoje por seus moradores. Para falar sobre isso, a professora e pesquisadora da UERJ Vivian Fonseca foi a convidada do 27º episódio do Passes & Impasses.

Artigos

#RetrospectivaLEME: ídolos e memórias no esporte

O que seria do esporte se não tivéssemos os ídolos? Grandes figuras que fizeram – ou fazem – história e deixam um legado no mundo esportivo. Vamos destacar a seguir produções do LEME em que este assunto foi abordado.

O Rei brasileiro
Em 2020, Pelé completou 80 anos de vida. Para homenagear e celebrar os feitos de um dos maiores ídolos do futebol mundial, convidamos para o Passes e Impasses o doutorando em Antropologia Diano Massarani e o doutorando em História Social Nathan Barbosa.

El diez argentino
O final de 2020 também foi marcado por uma grande perda para o esporte. Diego Armando Maradona morreu aos 60 anos, deixando um enorme legado e uma legião de fãs e admiradores. Embora fosse um craque indiscutível dentro de campo, fora dele seu comportamento era controverso. Para homenagear essa figura complexa, Alvaro do Cabo escreveu para o blog do LEME o texto “Maradona – uma reverência além do Bem e do Mal”.

Tristeza
Outro ídolo que nos deixou precocemente foi o ex-jogador de basquete Kobe Bryant. Em uma tragédia que vitimou o ídolo e sua filha, também jogadora de basquete, Gianna Bryant, o mundo do esporte ficou de luto. Kobe era um atleta exemplar e vencedor, e Gianna, uma jovem jogadora promissora. Tivemos duas homenagens a eles no blog do LEME, a primeira, de Marina Mantuano no texto “Uma crônica para Kobe Bryant”, e a segunda, de Clara Quintaneira em “Kobe Bryant: para sempre um ídolo”.

Mané
Outro ídolo homenageado foi Mané Garrincha. Em texto que leva o nome do craque, Phelipe Caldas presta uma homenagem no blog do LEME ao “anjo das pernas tortas” relembrando os lances desse personagem que entortava os marcadores e levava a torcida à loucura com seus lances espetaculares.

Zagallo
Em mais lembranças e homenagens aos ídolos do esporte, tivemos ainda o texto de Diego Ramalho: “Zagallo, o coadjuvante revolucionário”. Diego relembra a genialidade de Mario Jorge Lobo Zagallo, que atuou como jogador e treinador, tendo o recorde de títulos em Copas do Mundo – quatro títulos (dois como jogador [58 e 62], um como treinador [70] e um como assistente técnico [94]).

Carrasco
Em 2020, completaram-se 70 anos do Maracanã e, também, do Maracanazo. Se muitos preferem atribuir a perda do título ao goleiro Barbosa, Phelipe Caldas reconhece os méritos da Seleção uruguaia e escreve, para o blog do LEME, uma “Carta para o amigo Ghiggia”, autor do gol do título.

Enfim, ídolos!
Para fechar essa retrospectiva com chave de ouro, relembramos o nosso décimo primeiro episódio do Passes & Impasses, que contou com a presença dos pesquisadores do LEME Fausto Amaro e Leda Costa e do professor e coordenador do LEME Ronaldo Helal. Eles comentaram as narrativas criadas sobre a figura do ídolo e do herói.

Artigos

#RestrospectivaLEME: rivalidades no futebol

Nada melhor do que brincar com o rival depois de uma vitória, não? O que seria do futebol sem os clássicos que dão uma pitada a mais de emoção e brilho ao esporte? A rivalidade saudável faz parte do futebol. Vamos destacar a seguir produções do LEME em que este assunto foi abordado.

Rivalidades Locais
Não importa se é final de campeonato, ou torneio de bola de gude, quando é o seu rival que está do outro lado, ganhar vira uma questão de honra! Para falar sobre as rivalidades estaduais, que mexem com o coração de qualquer torcedor, o Passes & Impasses recebeu a doutoranda do PPGCom/UERJ Thalita Neves e o professor adjunto no Centro de Estudos de Pessoal (CEP/FDC) Édison Gastaldo.

Clássico é clássico…
Aproveitando o início dos campeonatos estaduais em janeiro, Thalita Neves escreveu para o blog do LEME o texto “Clássico é Clássico e vice-versa?”. Nele, ela questiona esse sentimento de torcer “pela desgraça” do rival como solucionador dos problemas do seu time de coração. Será que torcer contra o outro faz o seu time ser melhor?

Campeonato brasiliense
Grandes histórias sobre clássicos no sul e sudeste muitos devem conhecer, mas e no Distrito Federal? Relembrando um acontecimento para lá de diferente, Fábio Santa-Cruz escreveu, para o blog do LEME, o texto “O inusitado tira-teima brasiliense de 1969”, em que conta a história da final entre o Coenge e o Grêmio Brasiliense.

Gre-Nal
Alguns consideram que o Gre-Nal é a maior rivalidade entre dois times no futebol brasileiro. Polêmicas à parte, Grêmio x Internacional é o único clássico numerado, você sabia? O próximo que acontecer será o de número 429. Para contar mais histórias desse clássico emocionante, Thalita Neves escreveu para o blog do LEME o texto “O ‘GreNal das Américas’ e outros grenais históricos, heroicos e dramáticos”

Campeonato goiano
Entre os anos de 1979 e 1985, a rivalidade em Goiás ganhou contornos que extrapolaram as quatro linhas do gramado, com campeonatos em sequência decididos no famoso “tapetão”. No blog do LEME, Fábio Santa-Cruz, em seu texto “Polêmica e Tapetão: o Campeonato Goiano de futebol no período 1979-1985”, rememora as histórias dos clubes goianos em meio a campeonatos recheados de polêmicas.

E a torcida?
As rivalidades não são apenas alimentadas pelas histórias dos clubes, mas também por suas torcidas. E as organizadas representam um fator importante nesse processo. Para entendermos melhor a história das torcidas organizadas, convidamos para o episódio 20 do Passes & Impasses o professor da FGV Bernardo Buarque de Hollanda e o professor do Programa de Pós-Graduação da Universidade de Sorocaba Felipe Lopes.

Vizinhos sim, rivais também
Quando Brasil e Argentina entram em campo, eles carregam uma história calcada na rivalidade. A proximidade, a comparação entre Pelé e Maradona, o estilo de jogo “com raça”… são vários os fatores que alimentam esse clássico. Para discutir esse tema, o vigésimo quarto episódio do Passes & Impasses convidou o professor da UERJ e coordenador do LEME Ronaldo Helal e o professor da Universidade de Buenos Aires Pablo Alabarces.

Artigos

#RetrospectivaLEME: resistência negra no esporte

O racismo é um assunto que quase sempre está na pauta do esporte. Mesmo que alguns considerem que atos racistas não existam mais, o que vemos no dia a dia é algo bastante diferente. Neste post, vamos destacar produções do LEME em que este assunto foi abordado.

Racismo e esporte
No episódio 19 do Passes & Impasses, discutimos o tema com a ajuda de dois convidados especiais. O ex vice-presidente de Comunicação do Flamengo, Wellington Silva e o jornalista e pesquisador Emerson Esteves. Durante o programa, tratamos de recentes casos de racismo no cenário esportivo.

Black Lives Matter
Em 2020, o movimento conhecido como Black Lives Matter (Vidas Negras Importam) ficou novamente em evidência, principalmente após os acontecimentos nos EUA envolvendo George Floyd e Daniel Prude, ambos assassinados. Diversos atletas expuseram sua indignação e realizaram protestos para homenagear essas vidas ceifadas brutalmente. A pesquisadora Karla Ehrenberg escreveu um texto para o blog do LEME abordando esses protestos e sua relação com o marketing social das empresas.

Racismo fora das quatro linhas
No texto de Emerson Esteves, o pesquisador aborda um tema pouco questionado. O racismo no futebol fora do campo, mais precisamente no setor administrativo e em cargos de liderança e comando. Exemplo disso é que, em outubro de 2020, não tínhamos treinadores negros no comando dos times da elite do futebol brasileiro.

Negros na natação
Em setembro de 2020, foi ao ar uma reportagem no Esporte Espetacular que mostrou como ainda é escassa a participação de atletas negros nas piscinas. Segundo a reportagem, desde 1920, primeira Olimpíada em que o Brasil participou, tivemos apenas 10 nadadores negros. A partir dessa matéria, André Tavares, em seu texto para o blog do LEME, explorou esta questão, ressaltando a importância da discussão social sobre ela.

Artigos

#RetrospectivaLEME: futebol pelo mundo

Apesar de o Brasil, para alguns, ainda guardar a alcunha de “país do futebol”, é inegável que outros países têm também histórias muito interessantes sobre esse esporte. Vamos destacar a seguir produções do LEME em que este assunto foi abordado.

Refugiados
Vocês sabiam que o Brasil é o país da América Latina que mais abriga refugiados? Em um país desconhecido, com uma cultura diferente, para muitos jovens existe um ponto em comum: o futebol. No texto “Esporte e vinculação”, escrito para o blog do LEME, Conceição de Souza fala sobre esse aspecto do futebol, que é capaz de integrar múltiplas culturas em um só lugar.

Hermanos
Os nossos vizinhos também guardam grandes momentos no futebol. Para compreender mais os desdobramentos desse esporte na Argentina, Nicolás Cabrera escreveu dois textos para o blog do LEME. O primeiro, em conjunto com Nemesia Hijós e Franco Reyna, “História mínima do futebol argentino: montagem 2020”, trata da profissionalização do futebol no país. E o segundo, “A invenção das Barras”, conta o surgimento das Barras Bravas, que são uma espécie de “torcida organizada” dos clubes argentinos.

Centenário
Para comemorar os cem anos do Club Deportivo Palestino, Sidney Dupeyrat escreveu para o blog do LEME o artigo “Palestino, 100 anos de futebol e identidade”. No texto, Sidney faz uma homenagem a esse clube chileno, fundado por imigrantes palestinos e que tem fortes raízes com a nação e o povo árabe.

Futebol alemão
Em fevereiro deste ano, jogadores do Bayern Munique e do Hoffenheim abandonaram a partida que jogavam depois de protestos vindos das arquibancadas contra Dietmar Hopp, presidente do Hoffenheim. O acontecimento chegou ao Brasil de maneira distorcida e diversas variáveis foram ignoradas. Em seu texto para o blog do LEME, “Futebol, ofensas e ofensivas na Alemanha: o que não se entende na revolta dos torcedores”, Irlan Simões esclarece a situação e mostra que ela vai muito além de um protesto comum.

The English Game
O mundo do esporte virou um grande atrativo para a indústria cinematográfica. Muitas séries e filmes passaram a ilustrar histórias, reais ou não, relacionadas ao esporte. Para falar de uma delas, Anderson Santos escreveu, para o blog do LEME, o texto “A estruturação do futebol mostrada em The English Game”. Nele, Anderson analisa essa série da Netflix, que fez muito sucesso entre os amantes de esporte.

Conexão Inglaterra-Egito
Um dos grandes nomes do futebol inglês entre o final de 2019 e o início de 2020 foi Mohamed Salah, o atacante egípcio do Liverpool. O jogador não é só idolatrado pelos ingleses, mas pelos egípcios também, conseguindo um feito único: unir o país. Para falar desse personagem e suas histórias, Rafael Casé escreveu, para o blog do LEME, o texto “Mohamed Salah, o novo faraó do Egito”.

“Amor à pátria”
Dizer que o futebol promove grandes paixões, todo mundo já sabe. Mas que tal falar desse assunto de maneira mais profunda? Por que as Seleções movimentam esse sentimento de nacionalismo tão intenso? Essa e outras perguntas são respondidas no nosso 23º episódio do Passes & Impasses, que contou com as presenças de Victor Andrade de Melo, professor da UFRJ, e Maurício Drumond, doutor em História Comparada.

Artigos

#RetrospectivaLEME: a pandemia de COVID-19 no esporte – parte 2

O novo coronavírus pegou todo mundo de surpresa. Assim como os demais campos sociais, o esporte também teve que se adaptar a essa nova realidade. A pandemia trouxe reflexões e mudanças para o esporte. Vamos destacar a seguir produções do LEME em que este assunto foi abordado.

“Modelo NBA”
A forma que a NBA encontrou para lidar com a pandemia de COVID-19 chamou a atenção de todos. A famosa “bolha” funcionou muito bem e nenhum caso de coronavírus foi registrado entre atletas ou comissão técnica. No texto “A bola e a ‘bolha'”, Rafael Casé fala sobre a adoção desse modelo e discute suas implicações.

Outros esportes americanos
Nem só de NBA vive os Estados Unidos. Outras ligas também tiveram que repensar seus modelos para o retorno da temporada. César Torres, em seu texto “O esporte profissional norte-americano: entre a pandemia, o negócio e a cultura política”, discorre sobre os modelos adotados pela NBA, MLB, NFL e NHL e os impactos sociais que eles tiveram.

Referência
A situação que estamos vivendo pode parecer inédita, mas guarda semelhanças com outras histórias que o esporte já viveu. David Sheinin e César Torres, no texto “Medo e coragem em tempos de pandemia: lições desportivas de 1987”, relembram uma história que aconteceu há 33 anos e que pode servir de inspiração e referência para o momento que vivemos.

Momento certo?
De volta para o Brasil, com o retorno dos Campeonatos estaduais, alguns times levantaram taças pelo Brasil. Os questionamentos sobre o retorno do esporte ficaram ainda mais fortes. Em seu texto para o blog do LEME, Gustavo Bandeira relatou sua tristeza e revolta, enquanto torcedor, de ver seu time comemorando uma taça em um momento tão inoportuno.

Entrevista
Para opinar sobre esse momento peculiar vivido pelo esporte, em julho, Henrique Biscardi entrevistou o pesquisador Nicolás Cabrera. Na conversa, foram discutidas as ações das torcidas durante a pandemia, e como será o futebol pós-COVID-19 para as torcidas organizadas, tema de pesquisa de Nicolás.

Crítica
Em “Para não dizer que não falei de futebol: menos cem mil torcedores”, Antonio Jorge Soares fez uma dura crítica ao retorno do futebol durante a pandemia. Conjugando esporte e política, Soares destaca a falta de sensibilidade e coerência nas tomadas de decisões.

Responsabilidade
Será que os clubes e atletas são os únicos responsáveis pelo retorno do futebol? Carlus Augustus fez essa reflexão em seu texto para o blog do LEME: “A parte que nos cabe nessa pandemia”. Carlus propõe uma análise sobre os motivos que levaram ao retorno do esporte e a parcela de responsabilidade que cada instituição tem nele.

Leveza
O nosso segundo episódio gravado remotamente (e décimo segundo no geral) foi sobre cinema e esporte. Um respiro diante da realidade tão difícil que vivíamos naquele momento (e ainda hoje). Os convidados foram os professores Victor Andrade de Melo e Ronaldo Helal (também coordenador do LEME). O papo foi leve, descontraído, mas cheio de conteúdo.

Artigos

#RetrospectivaLEME: a pandemia de COVID-19 no esporte

O novo coronavírus pegou todo mundo de surpresa. Assim como os demais campos sociais, o esporte também teve que se adaptar a essa nova realidade. A pandemia trouxe reflexões e mudanças para o esporte. Vamos destacar a seguir produções do LEME em que este assunto foi abordado.

O esporte parou
Não é exagero dizer que a paralisação das atividades em todos os países causou fortes abalos no mundo do esporte. No Brasil, uma das primeiras discussões se deu em torno dos chamados “clubes pequenos”. No blog do LEME, Marina Mantuano abordou esse assunto quando o retorno do esporte ainda era apenas uma hipótese.

E a imprensa?
Sem os campeonatos, a imprensa esportiva também sofreu um baque. As grades tiveram que ser alteradas e programas tradicionais foram modificados. Duas produções do LEME abordaram esse assunto: o episódio 16 do Passes & Impasses, que teve a a participação dos jornalistas Sérgio Souto e Guilherme Oliveira; e o texto “O jornalismo esportivo em tempos de coronavírus”, escrito por Leticia Quadros para o blog do LEME.

Estratégias
Para driblar a falta de assunto, as emissoras começaram a reprisar os jogos de antigos campeonatos. Foi uma bela oportunidade para os mais jovens verem partidas e jogadores incríveis e os mais velhos matarem a saudade de grandes times e títulos memoráveis. No blog do LEME, quem falou sobre isso foi o Sérgio Souto, no texto “Os múltiplos sentidos das partidas reprisadas na memória dos torcedores em tempos de quarentena”.

O retorno
Em junho, aqui no Brasil, quando a curva de casos do novo coronavírus estava ascendente em quase todo país, o Campeonato Carioca foi o primeiro a retomar seus jogos. Foi travado, então, um embate entre Flamengo e Vasco, favoráveis ao retorno, e Fluminense e Botafogo, contrários à medida. No final, o Carioca voltou, o Flamengo sagrou-se campeão, e Diego Ramalho fez sua reflexão sobre isso no texto “A tão merecida taça”. Se você ainda não leu, corre lá no blog do LEME.

As transmissões
Quem também deixou suas reflexões no blog do LEME sobre o Campeonato Carioca foi Phelipe Caldas. Ele, entretanto, abordou o tema por um viés diferente. Em “O rádio e o futebol”, Phelipe discorre sobre o som fake de torcida colocado ao fundo nas transmissões, para amenizar o vazio das arquibancadas. Será que isso descaracterizaria o propósito do rádio?

Torcida fake
Um dos primeiros lugares a colocar torcedores de papelão nas arquibancadas foi a Alemanha. Essa e outras tentativas estão muito calcadas na máxima “futebol sem torcida não é futebol”. Mas será que os torcedores de papel ou virtuais realmente fazem diferença? Em “A dramática volta do futebol alemão”, César Torres, no blog do LEME, discorre sobre o gênero dramático incorporado pelo esporte com essas medidas.

Ainda sobre a “razão de ser do futebol”
A impossibilidade de acompanhar seu time das arquibancadas foi um assunto que mobilizou todos aqueles que amam esporte. Sérgio Souto abordou esse assunto no blog. Para ler o que ele escreveu, confira o texto “Silêncio nos estádios e torcida fake”.

Impactos
A paralisação e o posterior retorno do futebol, em meio à tragédia humana que acontecia fora dos muros dos estádios, não ocorreu sem deixar marcas. Por isso, no episódio 17 do Passes & Impasses, convidamos o psicólogo Alberto Filgueiras para falar, justamente, sobre a importância da psicologia e a atuação do psicólogo em um momento tão delicado.