Eventos

Palestra Identidade Cultural e Copa do Mundo

IMG_0877O ciclo de debates e palestras continua no Seminário Internacional Copa do Mundo, Mídia, Esporte e Identidades Nacionais, e desta vez a mesa contou com a participação de diversos pesquisadores da área. O tema foi: “Identidade Cultural e Copa do Mundo”.

O cientista social e pesquisador Luiz Henrique Toledo, que desenvolve pesquisas relacionando antropologia e esporte, esteve presente na palestra debatendo sobre a atual situação da identidade nacional em nosso país. Segundo o professor, com a derrota da Seleção Brasileira no Mundial de 2014 podemos perceber as significativas mudanças de representação nacional, entre outros mundiais e a atual. O pesquisador questionou a falta de tristeza com o fracasso da seleção, e enfatizou também a falta do “choro representativo”, que representaria a síntese da tristeza de toda a nação.

José Carlos Marques, professor e pesquisador da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), enfatizou logo no início de sua fala as diferenças entre identidade nacional e cultural e como elas se misturam em nosso país.  O que não ocorre em  alguns países europeus que tem as identidades bem definidas e independentes uma das outras. De acordo com o pesquisador, nós temos a tendência de olhar o Brasil através do olhar europeu e destacou que nós devemos mudar essa posição, que devemos olhar o Brasil através de nós mesmos.

Além disso, José Carlos demonstrou as grandes diferenças de identidade nacional existentes através da comparação de diversas capas de jornais pelo Brasil e pelo mundo após as derrotas da seleção canarinho nos mundiais de 2010, na África do Sul, e também em 2014, em nosso país. Diante desta comparação, ficou claro as diferentes transposições de sentimentos em todas as regiões do Brasil, a procura de culpados e pincipalmente a identificação dos meios de comunicação comoIMG_0893 produtores de identidade, seja ela nacional ou cultural.

O pesquisador do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Esporte e Sociedade e editor da revista Esporte e Sociedade, Martin Curi também esteve no evento. O pesquisador destacou em sua análise uma particularidade da pauta deste mundial de 2014. Além das já esperadas discussões a respeito da validade do mundial em termos econômicos, também foram discutidas questões sociais, principalmente com o advento das manifestações de julho de 2013, em que milhares de brasileiros saíram às ruas para questionar a política nacional do Brasil e lutar por mais direitos.

Martin Curi é Alemão, mas e vive no Brasil há 14 anos e ele aproveitou a palestra para destacar algumas diferenças entre Brasil e Alemanha.  Um dos pontos foi o fato de no Brasil a Copa do Mundo ter servido como uma oportunidade para se discutir toda a sociedade em si, o que  não ocorreu no Alemanha. Além disso, o pesquisador ressaltou sua visão do mundial deste ano, em que pode acompanhar a seleção alemã em seus sete jogos.  Segundo o pesquisador, as cidades sedes como Rio de Janeiro, Belo Horizonte e São Paulo realmente apresentaram facilidades de locomoção e serviços mais avançados do que sedes da região Nordeste, por exemplo.  Além disso, Martin se surpreendeu com a agressividade dos torcedores e principalmente dos seguranças dentro dos estádios.

O pesquisador alemão também salientou o fato do Brasil se apresentar como uma unidade única durante o mundial, como se tudo dependesse dos resultados conquistados dentro de campo, e também a representação do futebol brasileiro nos pés de Neymar.IMG_0885

* As fotos do evento podem ser conferidas na página do LEME no Facebook.

Por Guilherme Oliveira, graduando de Jornalismo na Uerj

Deixe uma resposta