Artigos

Kobe Bryant: para sempre um ídolo

Lakers reservam dois lugares: a camisa 2, para Gianna, filha de Kobe, que também morreu no acidente aéreo e a camisa 24 para o grande ídolo (Foto: Divulgação)

No post “Uma crônica para Kobe Bryant”, Marina Mantuano escreveu (e, diga-se de passagem, muito bem) sobre o dia em que Kobe nos deixou. Hoje, depois de exatos cinco meses de sua partida, faço este texto sobre sua história e seu legado.

Kobe Bean Bryant, carinhosamente apelidado de “Black Mamba”,  foi vítima de um acidente de helicóptero e faleceu no dia 26 de janeiro de 2020, em  Calabasas, Los Angeles, EUA. O ala-armador estava com uma de suas filhas, Gianna Bryant, que também não sobreviveu. É impossível não associar a história de Kobe com a National Basketball Association (NBA), especialmente com o time do Los Angeles Lakers.

Enquanto jogador, sua carreira começou no draft de 1996, quando foi escolhido pelo New Orleans Hornets e transferido, sem ainda ter jogado nenhuma partida, para o Lakers. Kobe foi trocado pelo pivô Vlade Divac, ídolo do Lakers naquela época. Uma vez que Kobe tinha apenas 17 anos de idade, seus pais tiveram que assinar com ele o contrato junto a equipe californiana.

No início do ano 2000, o Black Mamba levou o Lakers ao topo, vencendo cinco vezes a temporada regular da NBA (2000, 2001 e 2002, 2009 e 2010) e o FIBA Americas Championship (2007), além de ter conquistado duas medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos (2008 e 2012).

Para Michael Jordan, maior nome da história do basquete, Kobe Bryant era seu irmão mais novo. “Kobe deu tudo de si. Deixou tudo na quadra (longa pausa para aplausos). Kobe e eu éramos amigos muito próximos. Quando o conheci melhor, quis ser o melhor irmão mais velho possível. Quando Kobe Bryant morreu, um pedaço de mim morreu. Descanse em paz, meu irmão mais novo”, disse Michael Jordan ao encerrar seu discurso no funeral de Kobe.

Kobe Bryant e Michael Jordan em jogo histórico entre Lakers e Bulls em 1997 (Foto: VINCENT LAFORET/AFP)

Kobe Bryant fez história dentro das quadras jogando por 20 anos no Los Angeles Lakers e depois continuou sua carreira como investidor e empresário, fundando sua própria marca de produtos esportivos, a Kobe Inc.

Black Mamba ganhou quatro vezes o prêmio NBA All-Star Game Most Valuable Player Award (MVP), duas vezes o prêmio ESPY – Melhor Atleta da NBA (2008 e 2010), uma vez o MVP – Most Valuable Player (2008), teve as camisas 8 e 24 aposentadas no Lakers, a camisa 24 aposentada no Dallas Mavericks (póstumo) e ganhou o Oscar de Melhor Curta-Metragem de Animação (2018) com “Dear Basketball”.

Conhecido por sua capacidade de pontuar, Kobe Bryant se tornou o segundo maior pontuador em único jogo da NBA no dia 22 de janeiro de 2006. Ele fez 81 pontos na vitória do Los Angeles Lakers por 122 a 104 sobre o Toronto Raptors, ficando atrás apenas da lenda Wilt Chamberlain, com 100 pontos. No jogo memorável de Kobe, ele converteu 28 de 46 arremessos, sendo sete em 13 de três pontos, além de 18 de 20 lances livres. Pegou seis rebotes e deu duas assistências, em 42 minutos. Sem dúvida, foi o maior jogo e o mais importante da carreira de Kobe.

LeBron James, jogador de basquete, fez um post de despedida no dia 27 de janeiro – um dia após a morte de Kobe – relatando que continuará o legado de Kobe Bryant. “Eu literalmente acabei de ouvir sua voz no domingo de manhã antes de deixar Filadélfia para voltar para Los Angeles. Não achamos nem por um milhão de anos que seria a última conversa que teríamos. Estou com o coração partido e arrasado, meu irmão!! Cara, eu te amo mano. Meu coração vai para Vanessa e as crianças. Prometo que continuarei seu legado!”, expõe LeBron em seu Instagram. Outros atletas de diferentes esportes, como Tom Brady, Patrick Mahomes, J. J. Watt, Thiago Silva, Neymar, Alexandre Pato e artistas como Belo, Murilo Rosa, Péricles, Marcelo Serrado, Roberta Rodrigues, Xênia França também prestaram sua solidariedade ao craque.

Post de Despedida (Fonte: Instagram de LeBron James)

A partida de Kobe é, sem dúvida, uma grande perda e deixa um vácuo para o esporte, em especial para o basquete. Sua história, suas conquistas, seu legado, seu exemplo e seus ensinamentos são, porém, muito maiores e já estão eternizados na nossa história. Kobe: para sempre um ídolo.

Fontes:

Ostlere, Lawrence (26 de janeiro de 2020). “Kobe Bryant dead: NBA star tragically dies in California helicopter crash aged 41”. The Independent. Consultado em 25 de maio de 2020.

Lynch, Andrew (20 out 2017). “Ranking the 25 greatest players in NBA history”. Fox Sports. Consultado em 25 de maio de 2020.

Moonves, Leslie (17 fev 2017). “50 greatest NBA players of all time”. CBS Sports. Consultado em 26 de maio de 2020.

Rasmussen, Bill (3 de março de 2016). ). “All-Time #NBArank: Counting down the greatest players ever”. ESPN. Consultado em 26 de maio de 2020.

McCallum, Jack (8 fev 2016). “SI’s 50 greatest players in NBA history”. Sports Illustrated. Consultado em 26 de maio de 2020.

“Kobe Bryant, daughter Gianna die in helicopter crash in Calabasas”. LA Times. Consultado em 27 de maio de 2020.

 “Kobe among dead in helicopter crash”. ESPN (em inglês). 27 de maio de 2020.

Artigos

Uma crônica para Kobe Bryant

Domingo, 26 de janeiro de 2020, 19h aproximadamente. Estava chegando em casa, bastante cansada, após ter ido até o estádio de Moça Bonita assistir Bangu 1 x 5 Fluminense, pelo Campeonato Carioca de futebol masculino. Ao chegar, abri a porta do quarto do meu irmão, o mais fanático tricolor que eu conheço, para falarmos sobre… Continuar lendo Uma crônica para Kobe Bryant

Avalie isto: