Artigos

O Flamengo “da gente” não é um CNPJ

O debate público, em tempo de redes sociais tão presentes, requer bastante cuidado. Ele é composto de várias vertentes, onde se formam blocos de discussão (principalmente discordância) que se confundem no panorama mais amplo. O caso do incêndio no Centro de Treinamento “Ninho do Urubu”, do Flamengo, segue essa lógica, em uma apressada necessidade de… Continuar lendo O Flamengo “da gente” não é um CNPJ

Avalie isto:

Artigos

Mais sobre commodities…

Muito românticas as narrativas da imprensa esportiva brasileira, ao descrever a interrupção do sonho das crianças e a perda de esperança em dias melhores, almejados pelas famílias destas crianças. Muito oportuno e trabalhoso preparar minibiografias das vítimas, procurar o técnico e o clube onde iniciaram o esporte, depoimentos de vizinhos amigos e familiares, sempre com… Continuar lendo Mais sobre commodities…

Avalie isto:

Eventos

LEME convida todos para uma sessão especial “Cinema, Futebol e Diversidade”

PELEJA FILMES convida para uma noite regada a filmes, esporte e luta pela inclusão. Haverá uma sessão especial “Cinema, Futebol e Diversidade” no dia 07/02, quinta-feira, a partir das 20h, na Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Os filmes serão: 1. SOCCER BOYS Sinopse: Em meio à disputa pela Taça da Diversidade,… Continuar lendo LEME convida todos para uma sessão especial “Cinema, Futebol e Diversidade”

Avalie isto:

Eventos

SEMINÁRIO INTERNACIONAL “COPA AMÉRICA – 2019: ESPORTE, MÍDIA, IDENTIDADES LOCAIS E GLOBAIS”

uerj_1-724x1024

2.png

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Em 1919, no Rio de Janeiro, a seleção brasileira conquistou o campeonato Sul-Americano de futebol. Já em pleno processo de popularização desse esporte no Brasil, o sul-americano daquele ano pode ser considerado como um momento fundamental em que foram dados contornos mais nítidos de uma identidade coletiva que se construía em torno do futebol. 100 anos se passaram. O Sul-americano se transformou em Copa América e o futebol, especialmente a seleção brasileira, se consolidou como um dos mais importantes pilares identitários do Brasil. 100 anos se passaram e, novamente, o Brasil sedia o mais importante campeonato de seleções do continente americano.

A realização do Seminário “Copa América-2019: Esporte, mídia, identidades locais e globais” pretende promover uma discussão de cunho acadêmico e transdisciplinar, objetivando refletir sobre o fenômeno futebolístico e esportivo de um modo geral tendo como centro articulador os debates sobre a realização da Copa América de 2019, no Brasil e os cem anos da primeira conquista internacional da Seleção Brasileira. Nesse evento, o LEME (Laboratório de Estudos em Mídia e Esporte) propõe promover uma oportunidade de divulgação e circulação de conhecimento que não se restrinja ao futebol em si, mas sim sobre as repercussões e apropriações feitas dessa prática esportiva que, desde o início do século XX, tem mostrado sua força de popularidade.

Normas para submissão de resumos e trabalhos completos para a sessão de trabalhos do Seminário Internacional COPA AMÉRICA – 2019: ESPORTE, MÍDIA, IDENTIDADES LOCAIS E GLOBAIS

1) Em um primeiro momento, o (a) autor(a) e co-autor (a), caso haja, deverão encaminhar, até o dia 15 de março de 2019, para a comissão científica do evento, resumo do artigo completo, no qual devem estar expostas suas ideias principais, a metodologia utilizada e os resultados parciais e/ou totais da pesquisa.

2) Os resumos devem conter, no máximo, 2500 caracteres, incluindo espaços. As regras de formatação para envio dos artigos (de 10 a 15 páginas) serão enviadas por email aos trabalhos selecionados.

A submissão de resumos deve ser realizada exclusivamente por meio deste formulário.

Email de contato: comunicacaoeesporte@gmail.com

3) O Seminário “Copa América-2019: Esporte, mídia, identidades locais e globais” recebe trabalhos de graduandos, graduados, mestrandos, mestres, doutorandos e doutores.

4) O Seminário “Copa América-2019: Esporte, mídia, identidades locais e globais” aceita trabalhos escritos em Português, Inglês e Espanhol.

5) Grupos de trabalho – A sessão de trabalhos tem como objetivo estimular a produção científica de pesquisadores das Ciências Sociais e Humanas no que tange à temática do futebol. Além disso, é um espaço acadêmico que visa possibilitar a divulgação desta produção, permitindo o debate e a reflexão acerca de questões contemporâneas exponenciadas pelos pesquisadores em formação.

 

GT1 – Esporte, cidade e identidades – 09 de abril de 2019 (terça-feira) – 10h às 12h30min

GT2 – Mídia, esporte e representação – 14h às 17h

GT3 – Estádios, arenas e os modos de torcer – 10 de abril de 2019 – Quarta-feira – 10h às 12h30min

 

GRUPOS DE TRABALHO

GT1- Esporte, cidade e identidades

O esporte desempenha um papel fundamental tanto na construção quanto afirmação de uma pluralidade de Identidades que atuam dentro e fora de fronteiras territoriais. Essa relação com a territorialidade confirma a necessidade de compreensão do esporte como prática que se entrecruza com o espaço urbano, estabelecendo com ele, uma trama de relações e significados que põe em movimento o jogo das identidades em um contexto de tensionamentos entre o local e o global.

Coordenação: Carol Fontenelle

 

GT2- Mídia, esporte e representação

A mídia, gradualmente, se consolidou como um importante veículo mediador entre os esportes e o público, participando não apenas da circulação, mas também da produção de um vasto imaginário construído em diálogo com uma série de representações presentes dentro e fora do território esportivo. As representações produzidas são um material cuja análise pode nos possibilitar o acesso às tensões e contradições dos valores e discursos que estão em jogo.

Coordenação: Álvaro do Cabo

 

GT3 – Estádios, arenas e os modos de torcer

A diversidade dos modos de torcer fomenta variadas possibilidade de construção identitária de torcedores e torcedoras nas arquibancadas. Essa pluralidade faz do ato de torcer um fenômeno complexo, muitas vezes, contraditório e que faz dele um locus de análise das reações, adaptações e resistência às mudanças ocorridas no cenário futebolístico, sobretudo, em diálogo com as transformações gerados pelo intenso processo de mercadorização e midiatização dos eventos esportivos

Coordenação: Irlan Simões

 

Comitê Científico

Leda Costa (UERJ)

Irlan Simões (UERJ)

Carol Fontenelle (UERJ)

Sérgio Settani Giglio (UNICAMP)

Coordenação-geral

Ronaldo Helal (UERJ)

NÃO HÁ TAXA DE INSCRIÇÃO. ENTRADA GRATUITA.

Data e horário

Início: 9 de abril de 2019

Encerramento: 10 de abril de 2019

Localização

Universidade do Estado do Rio de Janeiro – Auditório 91, 9º andar

Rio de Janeiro / RJ

Rua São Francisco Xavier, 524

Artigos

Cabecear ou não cabecear, esta é a questão*

Por César R. Torres ** * Texto original publicado em 27/01/2019 no site: Página 12 ** Doutor em filosofia e história do esporte. Professor da Universidade Estadual de New York (Brockport) *** Tradução: Juan Silvera  – Doutorando PPGCom Uerj Passei as férias de final de ano na Argentina. Em uma reunião de família, Beni e… Continuar lendo Cabecear ou não cabecear, esta é a questão*

Avalie isto:

Artigos

O machismo persistente no tênis

46 anos após a histórica “Batalha dos Sexos” entre a tenista Billie Jean King e Bobby Riggs, o tênis feminino ainda sofre com o machismo dentro e fora de quadra. O episódio, que virou filme “A Guerra dos Sexos” estrelado por Emma Stone e Steve Carel, foi crucial na busca pela igualdade de gênero no… Continuar lendo O machismo persistente no tênis

Avalie isto:

Artigos

Abusos sexuais atingem o cenário esportivo

A falta de voz das vítimas, muitas vezes por medo da exposição pública ou mesmo de perderem a oportunidade de alcançar seus objetivos esportivos, tem se tornado um dos motivos para que a porcentagem de ocorrências de abusos sexuais tenha sido crescente. Uma das primeiras atletas a romperem esse silêncio foi Joanna Maranhão, que chocou… Continuar lendo Abusos sexuais atingem o cenário esportivo

Avalie isto: