Artigos

Para nunca mais…

Que orgulho. Pai e filho, abraçados, comemoram juntos mais um título. O terceiro em cinco anos, de um clube que de repente aprendeu a ser grande e temido. Era o sexto título da história, sendo que metade deles apenas naquelas poucas temporadas. Pai e filho, abraçados de vermelho e branco, transformados em apenas um ao… Continuar lendo Para nunca mais…

Avalie isto:

Artigos

O amor e a tristeza unem

Ele chora. E seu gesto chama a atenção do filho pequeno. Ambos estão juntos de novo. No estádio que tantas vezes foram em companhia um do outro. Na arquibancada que desde cedo o pai fez o filho se acostumar como sendo uma espécie de segunda casa. Ele chora. E o gesto impacta o filho. Que… Continuar lendo O amor e a tristeza unem

Avalie isto:

Artigos

Na Copa de Rugby, eu sou é Argentina

Como desafio pouco é besteira, em um mesmo texto eu vou me propor a dois desafios ao amigo leitor, que como bom brasileiro é apaixonado por futebol e nutre uma eterna rivalidade contra a Argentina. Pois eu quero me propor a convencê-los a acompanhar a Copa do Mundo de Rugby, que começou a ser disputada… Continuar lendo Na Copa de Rugby, eu sou é Argentina

Avalie isto:

Artigos

Nós evoluímos!

E quem disse que não evoluímos quando o assunto é futebol? Que não aprendemos com os nossos próprios erros? Quem disse que não somos inteligentes? Que não temos a capacidade de nos adaptarmos para evitar a repetição das grandes tragédias? Pois a Seleção Brasileira se mostrou atenta. Leitora do mundo moderno, antenada com as surpresas… Continuar lendo Nós evoluímos!

Avalie isto:

Artigos

Da várzea à Fifa

No Sertão da Paraíba, nos recantos de uma cidadezinha qualquer, há um clube amador de futebol. Um time de peladeiros, com poucos recursos, sem campo próprio, sem dinheiro para manter o jogo de bola em níveis aceitáveis de qualidade. Jogam em nome do prazer. Para se socializar na base da cachaça e da feijoada ao… Continuar lendo Da várzea à Fifa

Avalie isto:

Artigos

O algoz e o rival!

Imagine que, certo dia, você é abatido. De forma cruel, impiedosa, virulenta. Numa cena de puro sadismo, você saberá depois. Porque o ato (quase criminoso) é cometido dentro de sua própria casa, diante de sua família, daqueles que você tem como heróis. E para piorar, o algoz comemora, ri, se esbalda. Festeja feito um louco… Continuar lendo O algoz e o rival!

Avalie isto: