Artigos

Memes e Sonhos: a final da Champions

A final da Champions League é sempre muito aguardada ao redor do mundo. No Brasil, não é diferente. Na partida final do campeonato desta temporada, a mais confusa da história, por conta da pandemia de coronavírus, tínhamos quatro jogadores brasileiros envolvidos: Neymar, Thiago Silva e Marquinhos representavam o Paris Saint-Germain, enquanto Philippe Coutinho era o “brazuca” do Bayern de Munique. Destes, somente Neymar já havia conquistado a competição, pelo Barcelona, em 2014-15.

Como já é de costume quando Neymar Jr está em campo, a internet brasileira bombou: memes, tweets, correntes, filtros nas redes sociais, ansiedade pela chegada ao estádio, “o pai tá on”, etc. Por um breve momento, confesso que um clima de Copa do Mundo parecia pairar pelo ar e achei que estávamos disputando o Hexa. A expectativa era grande e podemos dizer que a maioria dos brasileiros torceu pelo PSG.

marina1
Exemplo de meme produzido para a final da Champions. Fonte: Perfil do Instagram da autora

Passada a espera, chegou a hora da bola rolar. O primeiro tempo foi muito disputado, com boas chances para ambos os lados, mas nenhum gol marcado. Já no segundo, o entrosamento bávaro prevaleceu. Por ironia do destino, os alemães do Bayern bateram os franceses de Paris com gol de um jogador da França: Kingsley Coman. O atacante recebeu cruzamento da esquerda e, livre, cabeceou para o fundo das redes, aos 14 minutos da segunda etapa, decretando o título: Bayern 1 a 0.

Com isso, Philippe Coutinho passa a ser o 53º jogador brasileiro campeão da Champions League. Cria da base do Vasco da Gama, Coutinho começou o jogo no banco de reservas, mas entrou no decorrer da partida e foi importante para a sonhada conquista.

Por outro lado, Thiago Silva se despede do PSG com um gosto amargo, mas isso não apaga sua bela trajetória com a camisa do clube. Foram 8 anos de Paris, conquistando inúmeros títulos. Agora, o contrato se encerra e seu futuro ainda é uma incógnita. Os jornais ingleses ligam o destino do zagueiro ao Chelsea, mas temos que esperar para saber se a transação será concretizada.

Marquinhos e Neymar compartilharam a tristeza de Thiago e podem deixar Paris, apesar de ainda não estarem em fim de contrato. Como sabemos, as janelas de transferências costumam ser muito movimentadas na Europa e qualquer possibilidade há de ser considerada.

Falando especificamente de Neymar, este nunca esteve tão próximo de se tornar o melhor jogador do mundo. Uma possível conquista da UEFA Champions League faria o camisa 10 da Seleção Brasileira ser o grande favorito à conquista do prêmio, pois a competição, tradicionalmente, pesa muito na escolha do melhor jogador mundial do ano.

Após a derrota, mais uma vez Neymar recebeu críticas por parte da imprensa. Alguns acham que ele deveria chamar mais a responsabilidade para si, outros pensam que ele ainda se preocupa mais com o lado pessoal do que com o profissional, e por aí vai. Em contrapartida, nessa ocasião, percebemos que as críticas não foram unânimes. Muitas pessoas acreditam que o fato de o PSG ter chegado até a decisão já foi uma grande conquista e que, se não fosse pelo “Adulto Ney”, o time nem teria conseguido disputar a final.

Com o vice, Neymar provavelmente encerrou suas chances de se sagrar o melhor jogador da temporada, para tristeza total dos internautas do Brasil. Ouvi falar que, se ele fosse campeão e ganhasse a Bola de Ouro, teriam que criar uma Internet nova, exclusiva para brasileiros. Como não ocorreu, podemos dizer que o ex-jogador do Santos foi do céu ao inferno e os memes voltaram todos contra a sua pessoa.

Quem, no pós jogo, não abriu a Internet e leu que “o pai tá off”? Acho que todos nós tivemos contato com essa frase no último domingo (23). A moral da história é a seguinte: os internautas brasileiros perdem o amigo, mas não perdem a piada. Já Neymar, perdeu a Champions, mas não pode perder as esperanças. O povo brasileiro conta com sua genialidade para trazer o hexacampeonato em 2022.

marina2
Memes após a derrota. Fonte: Lance!

Em um ano de tantas perdas importantes, devido ao vírus, o insucesso no futebol fica até em segundo plano para nós, torcedores. Mas, para um profissional, o fracasso de agora é o início do próximo sucesso. Esperamos que Neymar também pense assim, mantenha o foco e volte ainda melhor no próximo calendário, se preparando da melhor maneira possível para a Copa do Mundo que se aproxima.

Já consigo imaginar todo mundo vacinado e feliz, postando altos memes e comemorando o Hexa, em 2022…

Em um momento tão complicado da história da humanidade, fico feliz de termos ainda a liberdade de sonhar. No mais, isso de nada adianta se não trabalharmos para transformar estes sonhos em realidade.

Com a assinatura de uma verdadeira sonhadora,

Marina Perdigão

Artigos

Momento delicado

Em tempos de pandemia, sabemos que, em várias áreas , as dificuldades econômicas estão redobradas ao redor do mundo. Por parte dos clubes de futebol e agremiações esportivas, isso não é diferente. No Rio de Janeiro, o próprio Flamengo, mesmo com todo o sucesso de bilheteria e títulos da temporada passada, já demitiu funcionários. Vasco e Botafogo seguiram pelo mesmo caminho, enquanto o Fluminense, apesar de toda a crise, descartou rescisões e demissões, mas permanece na corda bamba financeira.

Se os chamados “times grandes” estão enfrentando sérios problemas, o que falar dos considerados “pequenos”?

No Campeonato Paulista, até a chegada da Covid-19, você se recorda quem liderava a competição? Não era o elenco recheado do Palmeiras, nem o estrelado time do São Paulo. Também não era o Santos, atual vice-campeão brasileiro, e o Corinthians muito menos. Antes da paralisação do certame, o Santo André estava a ocupar a ponta da tabela.

Fonte: globoesporte

Com investimentos muito menores que os feitos pelos clubes da capital, o Santo André voltou a atrair os holofotes da imprensa depois de um longo tempo. O campeão da Copa do Brasil de 2004 fazia uma belíssima campanha no Estadual, que é considerado o mais disputado do país, porém nem tudo são flores.

Com a pausa da competição, o clube passa por um desafio enorme no que diz respeito ao contrato dos jogadores. No fim de abril, o vínculo de 21 dos 26 jogadores inscritos pelo time do ABC Paulista se encerrou. Desta forma, o líder do Paulistão só tem cinco jogadores com contratos ativos até o momento. A diretoria negocia com representantes dos jogadores para extensões, porém a imprevisibilidade quanto ao retorno das partidas atrapalha bastante.

A realidade vivida pelo clube é dura, mas não é exclusiva. Entre os 12 “pequenos” que disputam o Campeonato Paulista, 333 jogadores foram inscritos e 114 possuíam vínculo até o fim de abril. Fica evidente, portanto, que só nos resta esperar todo esse momento delicado passar e torcer por um bom desempenho dos dirigentes, para que a saúde financeira dos clubes não fique mais abalada do que já está.

Com a instabilidade que paira sobre os clubes brasileiros quanto à data de retorno das atividades futebolísticas no país, o planejamento financeiro também se torna algo imprevisível. Os dirigentes em todo o Brasil tentam achar saídas para que os clubes não quebrem em meio à crise. Algumas equipes adotaram o treinamento à distância de seus atletas, outras deram férias adiantadas, e também têm aqueles que tentam respaldo nas instituições que administram o futebol brasileiro.

Tratando-se dos campeonatos internacionais, diversas decisões estão sendo tomadas na tentativa de evitar um prejuízo que pode alcançar R$20 bilhões aos cofres europeus. O Campeonato Francês encerrou a competição e declarou seu líder, o PSG, campeão da temporada. Será que poderíamos adotar algo parecido com os estaduais, para não atrasar ainda mais o calendário?

Fonte: romanews

Segundo o site Marca, entre os clubes espanhóis, ao contrário do que acontece no Brasil, os times considerados pequenos serão os menos afetados e teremos Barcelona e Real Madrid com os principais prejuízos no país. Isso ocorre porque os times de menor expressões tem sua fonte de renda advinda, principalmente, da televisão. Já os maiores, de seus sucessos de bilheteria.

Com medidas especiais sendo tomadas, os clubes alemães se preparam para retomar o principal campeonato do país em meio à pandemia. Os jogos serão transmitidos somente pela TV com os portões fechados, mas as autoridades estão otimistas que em breve estarão com seus estádios cheios novamente.

A situação no Brasil está longe de ter uma solução ideal, mas as entidades futebolísticas deveriam estar buscando alternativas com mais afinco. Uma comunicação entre CBF, as federações estaduais e os clubes poderia ser uma saída que beneficiaria o futebol brasileiro. No país do futebol, hoje, temos de deixar o esporte em segundo plano. }
Esse também é o entendimento da maioria dos torcedores – segundo pesquisa feita pelo site UOL apenas 33% dos torcedores apoiam a volta dos campeonatos.

Em um momento completamente diferente dos países europeus, em que o futebol, assim como o país, respiram por aparelhos, é extremamente necessário que providências sejam tomadas e que a indecisão não seja a regra.

Artigos

Uma crônica para Kobe Bryant

Domingo, 26 de janeiro de 2020, 19h aproximadamente. Estava chegando em casa, bastante cansada, após ter ido até o estádio de Moça Bonita assistir Bangu 1 x 5 Fluminense, pelo Campeonato Carioca de futebol masculino. Ao chegar, abri a porta do quarto do meu irmão, o mais fanático tricolor que eu conheço, para falarmos sobre… Continuar lendo Uma crônica para Kobe Bryant

Avalie isto:

Artigos

LEME esteve presente na UERJ Sem Muros

No dia 27 de setembro de 2019, o Laboratório de Estudos em Mídia e Esporte (LEME) esteve presente na 29ª edição da UERJ Sem Muros e na 28ª Semana de Iniciação Científica da UERJ. Durante a exposição da Graduação, a ex-bolsista do Laboratório, Clara Quintaneira, orientada pelo professor Ronaldo Helal, apresentou o projeto desenvolvido no… Continuar lendo LEME esteve presente na UERJ Sem Muros

Avalie isto:

Notícias

Leda Costa faz participação no programa Globo Esportivo

Nesta quarta-feira (17), o LEME  marcou presença no programa Globo Esportivo, transmitido pela Rádio Globo, onde a pesquisadora e professora Leda Costa foi convidada a falar  sobre a pesquisa realizada pelo Datafolha que, dentre vários pontos, mostra que um em cada cinco brasileiros torce para o Flamengo. O assunto foi  considerado por muitos polêmico no… Continuar lendo Leda Costa faz participação no programa Globo Esportivo

Avalie isto:

Eventos

LEME marca presença no Cinefoot 2019

O LEME (Laboratório de Estudos em Mídia e Esporte) marcará forte presença na décima edição do Cinefoot no Rio de Janeiro. Entre os participantes, estarão a professora e pesquisadora Leda Costa, como mediadora nas três mesas de debate no CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil), e os pesquisadores Irlan Simões e Filipe Mostaro. No dia… Continuar lendo LEME marca presença no Cinefoot 2019

Avalie isto: