Artigos

LEME e Ludopédio organizam mesa no Cinefoot

Na noite do dia 23 de novembro, o Laboratório de Estudos em Mídia e esporte e o portal Ludopédio estarão presentes na organização da mesa “Maracanã 70 anos de histórias”, promovida pelo festival Cinefoot. A décima primeira edição da mostra teve início no dia no dia 20 de novembro e termina no dia 27 do mesmo mês.

A proposta da mesa na qual o LEME fará parte é resgatar momentos pouco conhecidos e memórias não contadas do “Maior do Mundo” e da TV no Brasil. Assim, a mesa tem mais do que o compromisso de apenas relembrar as famosas histórias e grandes craques que pisaram no gramado do Maracanã que todos já conhecem.

Para encarar essa missão, estarão presentes Leda Maria, ex-jogadora da seleção brasileira; Julio Cesar “Uri Geller”, ex-jogador do Flamengo; Marcelo Carvalho, do Observatório da discriminação racial no futebol e Bruno Balacó, pesquisador da Rede Nordestina de Estudos em Mídia e Esporte (ReNEme). A mediação ficará por conta de Marco Lourenço, do Ludopédio.

A mesa terá início às 19h e a transmissão será online e poderá ser acessada através do Facebook do Ludopédio ou no canal do Youtube do mesmo portal. Com a promessa de levar histórias inéditas ao público, o encontro com esses craques está imperdível! Além da mesa de hoje, ao longo do evento serão apresentadas sete mesas redondas e a programação completa pode ser conferida no site do Cinefoot.

Produção audiovisual

Já está no ar o vigésimo sétimo episódio do Passes e Impasses

Acesse o mais novo episódio do podcast Passes e Impasses no Spotify*, Deezer*, Apple PodcastsPocketCastsOvercastGoogle PodcastRadioPublic e Anchor.

O tema do nosso vigésimo sétimo episódio é “O legado dos Jogos Olímpicos Rio/2016”. Com apresentação de Filipe Mostaro e Mattheus Reis, recebemos Vivian Fonseca, doutora em História, Política e Bens Culturais pela Fundação Getúlio Vargas – RJ e professora adjunta na UERJ e na FGV.

Fonte: Rio On Watch

O podcast Passes e Impasses é uma produção do Laboratório de Estudos em Mídia e Esporte em parceria com o Laboratório de Áudio da UERJ (Audiolab). O objetivo do podcast é trazer uma opinião reflexiva sobre o esporte em todos os episódios, com uma leitura aprofundada sobre diferentes assuntos em voga no cenário esportivo nacional e internacional. Para isso, contamos sempre com especialistas para debater conosco os tópicos de cada programa.

Você ama esporte e quer acessar um conteúdo exclusivo, feito por quem realmente pesquisa o esporte? Então não deixe de ouvir o vigésimo sexto episódio do Passes & Impasses.

No quadro “Toca a Letra”, a música escolhida foi “Aquele abraço“, composta por Gilberto Gil e interpretada por Luiz Melodia.

Passes e Impasses é o podcast que traz para você que nos acompanha o esporte como você nunca ouviu.

ARTIGOS, LIVROS E OUTRAS PRODUÇÕES:

Portal Memória Olímpica – Fundação Casa de Rui Barbosa

Rio Olímpico: legado dos Jogos – Instituto PACs

Obras do Gilmar Mascarenhas

Memória das Olimpíadas no Brasil – diálogos e olhares – volumes 1 e 2

Equipe
Coordenação Geral: Ronaldo Helal
Direção: Fausto Amaro e Filipe Mostaro
Roteiro e produção: Marina Mantuano, Carol Fontenelle e Fausto Amaro
Edição de áudio: Leonardo Pereira (Audiolab)
Apresentação: Filipe Mostaro e Mattheus Reis
Convidada: Vivian Fonseca

Artigos

“Aqui nasceu o Vasco!” Centro Cultural Cândido José de Araújo

Por GT de Pesquisa Histórica do Centro Cultural Cândido José de Araújo

Em meio a pandemia que afeta a todo o Planeta, afastando torcedores das arquibancadas, o vascaíno encontrou uma forma de atuar diretamente em prol de seu clube mesmo sem comparecer aos jogos. Em mais uma ação que ultrapassa a esfera esportiva, a torcida vascaína volta a escrever a história com suas próprias mãos e ainda presenteia a nossa cidade maravilhosa com mais um importante espaço de cultura.

Trata-se da revitalização do espaço da fundação do Club de Regatas Vasco da Gama, ocorrida no dia 21 de agosto de 1898, no imóvel localizado à época na Rua da Saúde nº 293 (atualmente Rua Sacadura Cabral nº 345). Por muito anos acreditou-se que a fundação teria ocorrido em outro local, mais exatamente na sede da Sociedade Dramática Particular Filhos de Talma, situada na Rua do Propósito, nº 12 (atual nº 20) onde, por duas vezes, o aniversário do clube foi lá celebrado, em que pese o equívoco histórico.

O primeiro passo para desfazer esse erro foi dado pelo pesquisador Henrique Hübner.  Ainda em 2013, ele pesquisou e revelou o verdadeiro local da fundação do clube através de uma série de consultas aos jornais, livros e plantas da época disponibilizados pela Hemeroteca Digital da Biblioteca Nacional; registros do 1.º Registro de Imóveis;  croquis e plantas da Superintendência Municipal de Urbanismo; bem como o acervo fotográfico do Arquivo Público da Cidade do Rio de Janeiro.

Em 2015, o Vasco publica a sua Ata de Fundação com o verdadeiro endereço. Unindo-se perfeitamente a ata de fundação às pesquisas realizadas, foi colocado o ponto final ao mistério da fundação do Clube. A divulgação da pesquisa no site Memória Vascaína do citado pesquisador, foram de fundamental importância para que a informação passasse a circular entre os vascaínos.

Mas foi somente no ano de 2020 que um passo decisivo foi dado para a retomada desse espaço pela tradição vascaína. Ao verificar que o imóvel da Rua Sacadura Cabral número 345 estava disponível para locação, o grupo “Guardiões da Colina” entrou em ação para promover a recuperação do local, alugando o imóvel por 5 meses com opção de compra ao final de contrato. O início do trabalho de revitalização contou com a fundamental ajuda de outros torcedores, entre eles os membros do grupo “Raízes Vascaínas” e diversos empresários e lojistas do ramo da construção, que passaram a doar materiais e serviços diversos. Arquitetos e designers se prontificaram a desenvolver projetos para a “nova” sede que ali surgia. Somaram-se ao projeto historiadores, geógrafos, pesquisadores e estudiosos no geral para contribuírem com suas pesquisas e produzirem conteúdo sobre o local e seu entorno.

O Centro Cultural Cândido José de Araújo nascia assim, batizado através de votação popular realizada pelo twitter. Candinho, como era conhecido por sócios e adeptos do clube, foi eleito no ano de 1904 e reeleito em 1905, após ser recordista em indicações para novos sócios do clube em 1903. Além disso, foi o primeiro presidente negro de um clube do Rio de Janeiro e até onde se tem conhecimento, de qualquer instituição esportiva do país.

O simbolismo em ter o nome associado a um homem negro no local é imenso, uma vez que o imóvel está situado no local conhecido como a “Pequena África do Rio de Janeiro”, localidade onde centenas de milhares de escravizados trazidos do continente africano desembarcaram e se fixaram. Mesmo após a abolição da escravatura em 1888, a “Pequena África” seguiu como moradia de milhares de afro-brasileiros que, junto a imigrantes Portugueses pobres que também habitavam a região, encontravam o sustento através do trabalho em feiras livres ou como empregados do comércio voltado para o Porto do Rio.

Toda essa história aumenta a responsabilidade daqueles que pretendem construir o Centro Cultural. É importante dizer que, mesmo sendo uma casa vascaína com conteúdo focado num Vasco nascido do congraçamento entre brasileiros e portugueses, foi criado um espaço aberto para todos aqueles que se interessem pela história da cidade e do esporte carioca. E é isso que o Centro Cultural Cândido José de Araújo busca: Construir um espaço de visitação com exposições fixas e temporárias que vão recontar a gênese do clube, desde os fatos mais marcantes da vida vascaína, tais como a participação de seus grandes ídolos, ou relembrando as camisas históricas e símbolos que tanto apaixonam o torcedor, até diálogos do clube com a cidade e com trabalhos acadêmicos. Um espaço para todos que desejam aprender a mais nobre história de um clube voltado inicialmente para o remo, o futebol, o esporte, a cidade e sua memória social. Um espaço de vascaínos, para os vascaínos e para a cidade.

Sendo assim, convidamos os vascaínos e todos os amantes do futebol a conhecer o espaço a partir do dia 31 de Outubro, com limite de capacidade devido às medidas de combate ao COVID-19. Para aqueles que não podem ir até o local, faremos um tour virtual, com previsão de lançamento na semana seguinte a inauguração do Centro Cultural. Para mais informações, nos sigam no twitter e instagram @aquinasceuvasco!

Fonte: Acervo dos autores
Produção audiovisual

Já está no ar o vigésimo sexto episódio do Passes & Impasses

Acesse o mais novo episódio do podcast Passes e Impasses no Spotify*, Deezer*, Apple PodcastsPocketCastsOvercastGoogle PodcastRadioPublic e Anchor.

O tema do nosso vigésimo sexto episódio é “Os 80 anos de Pelé”. Com apresentação de Filipe Mostaro e Mattheus Reis, recebemos Diano Massarani, doutorando em Antropologia no Programa de Pós-Graduação em Antropologia (PPGA) da UFF, e Nathan Barbosa, doutorando em História Social no Programa de Pós-graduação em História Social (PPGHS) da UERJ.

O podcast Passes e Impasses é uma produção do Laboratório de Estudos em Mídia e Esporte em parceria com o Laboratório de Áudio da UERJ (Audiolab). O objetivo do podcast é trazer uma opinião reflexiva sobre o esporte em todos os episódios, com uma leitura aprofundada sobre diferentes assuntos em voga no cenário esportivo nacional e internacional. Para isso, contamos sempre com especialistas para debater conosco os tópicos de cada programa.

Você ama esporte e quer acessar um conteúdo exclusivo, feito por quem realmente pesquisa o esporte? Então não deixe de ouvir o vigésimo sexto episódio do Passes & Impasses.

No quadro “Toca a Letra”, a música escolhida foi “Obrigado, Pelé“, escrita por Miguel Gustavo e interpretada pelo quarteto MPB4.

Passes e Impasses é o podcast que traz para você que nos acompanha o esporte como você nunca ouviu.

ARTIGOS, LIVROS E OUTRAS PRODUÇÕES:

O Rei Pelé [filme, 1962]

Pelé, o nascimento de uma lenda [filme, 2016]

Isto é Pelé [filme, 1974]

Pelé eterno [filme, 2004]

Pelé, o último show [filme, 2018]

Eficiência x jogo de cintura: Garrincha, Pelé, Nélson Rodrigues, cinema, futebol e construção da identidade nacional [Victor Andrade de Melo, capítulo do livro Memória social dos esportes]

Partidas da campanha da seleção brasileira na Copa de 1970

Equipe
Coordenação Geral: Ronaldo Helal
Direção: Fausto Amaro e Filipe Mostaro
Roteiro e produção: Letícia Quadros, Fausto Amaro e Carol Fontenelle
Edição de áudio: Leonardo Pereira (Audiolab)
Apresentação: Filipe Mostaro e Mattheus Reis
Convidados: Diano Albernaz Massarani e Nathan Pereira Barbosa.

Eventos

Seminário #Maraca70 doa valor das inscrições para ONG na comunidade da Mangueira

Mil, trezentos e sessenta reais – este foi o montante arrecadado para a ONG Associação Meninas e Mulheres do Morro. O valor é fruto da taxa de inscrição dos pesquisadores que enviaram os trabalhos acadêmicos para os três GTs temáticos do Seminário #Maraca70. A instituição escolhida tem parceria de longa data com o CAC – Laboratório de Arte e Cidade, que, por sua vez, é parceiro do LEME – Laboratório de Estudos em Mídia e Esporte. “Fiquei muito feliz em ajudarmos uma instituição na qual meu melhor amigo até hoje, o professor João Maia, respeitava e tinha muito carinho. É um trabalho sério e importante”, relata Ronaldo Helal, coordenador do LEME, fazendo alusão ao professor João, que faleceu, inesperadamente, em outubro de 2018.

A ONG Associação Meninas e Mulheres do Morro está localizada na Mangueira, Rio de Janeiro. A instituição estimula práticas de teatro, pintura e poesia e ainda promove momentos de discussão sobre questões do cotidiano na comunidade. Com a pandemia do novo coronavírus, a ONG atuou ainda na distribuição de cestas básicas. “A vida me dá motivos infinitos para agradecer e sou grata por cada manhã de sol que traz novas oportunidades, sou grata por cada pessoa iluminada que atravessa nossas vidas e sou ainda mais grata por ter certeza que o professor João Maia, de onde ele estiver, colocou vocês no nosso caminho. Foi uma benção, pois a ajuda que vocês nos deram chegou na hora exata. Não tem palavras que mensurem toda a gratidão e que vocês permaneçam nos ajudando sempre que puderem, pois algumas pessoas chamam de acaso, outras de destino, e nós apenas agradecemos a cada pessoa que nos ajudou na inscrição [dos GTs], sabendo que os recursos iriam para a Associação Meninas e Mulheres do Morro”, afirma Kelly Louzada, coordenadora geral da instituição.

Fonte: Facebook da ONG.
Produção audiovisual

Já está no ar o vigésimo quinto episódio do Passes & Impasses

Acesse o mais novo episódio do podcast Passes e Impasses no Spotify*, Deezer*, Apple PodcastsPocketCastsOvercastGoogle PodcastRadioPublic e Anchor.

O tema do nosso vigésimo quinto episódio é “Esportes Paralímpicos”. Com apresentação de Filipe Mostaro e Carol Fontenelle, recebemos José Carlos Marques, professor associado da Universidade Estadual Paulista (Unesp/ Bauru), e Maurício Dumbo, atleta de futebol de 5, campeão paralímpico.

O podcast Passes e Impasses é uma produção do Laboratório de Estudos em Mídia e Esporte em parceria com o Laboratório de Áudio da UERJ (Audiolab). O objetivo do podcast é trazer uma opinião reflexiva sobre o esporte em todos os episódios, com uma leitura aprofundada sobre diferentes assuntos em voga no cenário esportivo nacional e internacional. Para isso, contamos sempre com especialistas para debater conosco os tópicos de cada programa.

Você ama esporte e quer acessar um conteúdo exclusivo, feito por quem realmente pesquisa o esporte? Então não deixe de ouvir o vigésimo quinto episódio do Passes & Impasses.

No quadro “Toca a Letra”, a música escolhida foi audiodescrição do clipe final dos Jogos Paralímpicos 2016.

Passes e Impasses é o podcast que traz para você que nos acompanha o esporte como você nunca ouviu.

ARTIGOS, LIVROS E OUTRAS PRODUÇÕES:

  • Linha de passe [filme]
  • Her [filme]
  • Special [série]

Equipe
Coordenação Geral: Ronaldo Helal
Direção: Fausto Amaro e Filipe Mostaro
Roteiro e produção: Carol Fontenelle e Letícia Quadros
Edição de áudio: Leonardo Pereira (Audiolab)
Apresentação: Filipe Mostaro e Carol Fontenelle
Convidados: José Carlos Marques e Maurício Dumbo.

Eventos

Seminário #Maraca70 é sucesso online de público

Mais de duas mil visualizações de vídeos – é esta a marca que o Laboratório de Estudos em Mídia e Esporte (LEME) chegou em menos de 24 horas do término de seu  Seminário #Maraca70, no Youtube. Com uma programação que reuniu acadêmicos consagrados, jornalistas da grande imprensa e pesquisadores de todo o país (nos Grupos de Trabalho), o Seminário #Maraca70 fica na história do LEME como um evento de acolhimento, aprendizagem e escuta, em meio a tantas adversidades.

As manhãs dos dias 5, 6 e 7 de outubro contaram com a apresentação de trabalhos em três GTs distintos, com reuniões via Meet. Nessas discussões acadêmicas, conseguimos reunir pesquisadores de diversos estados do país, com destaque para a forte presença do Nordeste.

Na noite do dia 5, Vanessa Riche (jornalista e apresentadora do Fox Sports) e Carol Barcellos (jornalista e repórter da TV Globo) abriram o evento com a mesa “Narradoras do espetáculo” (sob mediação de Leda Costa). Além de abordarem as suas relações com o Maracanã, Vanessa e Carol falaram das dificuldades de serem jornalistas em uma editoria na qual ainda há poucas mulheres e lembraram também pontos importantes de suas carreiras, como a cobertura do ônibus 174, realizada por Vanessa, e uma reportagem no Nepal, para o Planeta Extremo, feita por Carol.

No dia seguinte, de tarde, tivemos a mesa “O Maracanã na literatura e na arte”. Luiz Antonio Simas, historiador e autor do livro Maracanã: Uma biografia, Bernardo Buarque de Hollanda, professor da Escola de Ciências Sociais da FGV, e Gisella Moura, mestre em História Social e Cultural pela UFRJ e autora do livro O Rio Corre Para o Maracanã, com a mediação de Alvaro do Cabo, doutor em História Comparada pela UFRJ, abordaram aspectos históricos do estádio, bem como suas representações em livros, músicas, filmes e outros produtos culturais.

Para terminar o segundo dia de evento, à noite, a tabelinha ficou por conta de Edson Mauro (radialista e narrador esportivo da Rádio Globo/CBN) e Luis Roberto (jornalista e narrador da Globo/SporTV). Com mediação de Ronaldo Helal, coordenador do LEME, tivemos uma noite de muitas memórias afetivas do Maracanã, no qual parecia estarmos assistindo a uma mesa redonda de domingo.

Já na quarta (07), último dia do evento, pesquisadores consagrados se reuniram para a mesa “Maracanã: patrimônio cultural e palco de megaeventos”. Vivian Fonseca (historiadora e professora da UERJ e da FGV), diretamente da França, nos contou sobre as intervenções realizadas no estádio, sob o ponto de vista do patrimônio cultural. Arlei Damo (antropólogo e professor da UFRGS) abordou as simbologias presentes na construção dos estádios ao longo da história, com foco na integração com o público, e Antônio Jorge Soares (professor titular da UFRJ) nos brindou com reflexões próprias de um intelectual dos esportes, que também frequenta, desde a infância, o Maracanã. A mesa foi mediada por Filipe Mostaro, doutor em Comunicação pela UERJ e pesquisador do LEME.

Para fechar o Seminário com chave de ouro, às 18h30, Juca Kfouri (escritor, jornalista e autor do Blog do Juca) e Marcelo Barreto (jornalista, editor-chefe e apresentador do Redação SporTV), sob a mediação do professor Ricardo Freitas, vice-diretor da FCS/UERJ e coordenador do Laboratório de Comunicação, Cidade e Consumo (Lacon), conversaram sobre suas experiências nas dependências do estádio enquanto jornalistas e torcedores.

Eventos

Acompanhe os próximos dias de programação do #Maraca70

O Seminário #Maraca70: Mídia, Memória e Patrimônio começou ontem, dia 05/10. Para facilitar a sua vida, disponibilizamos abaixo os cards com a programação de hoje e amanhã, bem como os links para acessar as lives no Youtube. Anota no caderno e marca na agenda! Basta clicar na imagem que você será redirecionado para o Youtube.

Produção audiovisual

Já está no ar o vigésimo quarto episódio do Passes & Impasses

Acesse o mais novo episódio do podcast Passes e Impasses no Spotify*, Deezer*, Apple PodcastsPocketCastsOvercastGoogle PodcastRadioPublic e Anchor.

O tema do nosso vigésimo quarto episódio é “Rivalidade Brasil x Argentina no futebol”. Com apresentação de Filipe Mostaro e Mattheus Reis, recebemos Ronaldo Helal, coordenador do LEME e professor titular da UERJ, e Pablo Alabarces, que é professor de Cultura Popular da Faculdade de Ciências Sociais da Universidade de Buenos Aires. Alabarces coordenou, entre 1999 e 2003, o Grupo de Trabalho “Esporte e Sociedade” no Conselho Latino-americano de Ciências Sociais (CLACSO).

O podcast Passes e Impasses é uma produção do Laboratório de Estudos em Mídia e Esporte em parceria com o Laboratório de Áudio da UERJ (Audiolab). O objetivo do podcast é trazer uma opinião reflexiva sobre o esporte em todos os episódios, com uma leitura aprofundada sobre diferentes assuntos em voga no cenário esportivo nacional e internacional. Para isso, contamos sempre com especialistas para debater conosco os tópicos de cada programa.

Você ama esporte e quer acessar um conteúdo exclusivo, feito por quem realmente pesquisa o esporte? Então não deixe de ouvir o vigésimo quarto episódio do Passes & Impasses.

No quadro “Toca a Letra”, a música escolhida foi “Bad Moon Rising“, canção da banda Creedence Clearwater Revival, de 1969.

Passes e Impasses é o podcast que traz para você que nos acompanha o esporte como você nunca ouviu.

ARTIGOS, LIVROS E OUTRAS PRODUÇÕES:

Equipe
Coordenação Geral: Ronaldo Helal
Direção: Fausto Amaro e Filipe Mostaro
Roteiro e produção: Marina Mantuano e Carol Fontenelle
Edição de áudio: Leonardo Pereira (Audiolab)
Apresentação: Filipe Mostaro e Mattheus Reis
Convidados: Ronaldo Helal e Pablo Alabarces.

Eventos

LEME divulga programação completa do Seminário #Maraca70

Uma seleção repleta de craques pronta para entrar em campo e nos proporcionar debates memoráveis. Está chegando na área o Seminário #Maraca70. Com a confirmação dos últimos participantes, a equipe do #Maraca70 está pronta para o jogo! Sem mais delongas vamos apresentar esse timaço: Vanessa Riche, Carol Barcellos, Gisella de Araújo Moura, Luiz Antônio Simas, Bernardo Buarque de Hollanda, Luis Roberto, Edson Mauro, Arlei Damo, Antônio Jorge Soares, Vivian Fonseca, Marcelo Barreto e Juca Kfouri. Todos esses grandes nomes do jornalismo esportivo e da academia estarão nessa homenagem aos setenta anos do “Maior do Mundo”. O Seminário Internacional “#Maraca70: mídia, memória e patrimônio” começa dia 05 e vai até 07 de outubro.

Logo de início, na conferência de abertura, dia 05/10 às 18h30, contaremos com Vanessa Riche (radialista e comentarista da Fox Sports) e Carol Barcellos (jornalista e repórter da Tv Globo). Elas já cobriram diversas partidas no estádio e são referências do jornalismo esportivo  brasileiro. Essa mesa será mediada por Leda Costa, professora visitante da UERJ e pesquisadora do LEME.

A primeira mesa do Seminário, no dia 06/10 às 16h, terá a presença de Luiz Simas, historiador e autor do livro Maracanã:Uma biografia, Bernardo Buarque de Hollanda, professor da Escola de Ciências Sociais da FGV, e Gisella Moura, mestre em História Social e Cultural pela UFRJ e autora do livro O Rio Corre Para o Maracanã, que vão discutir a representação do Estádio Jornalista Mário Filho na literatura e na arte. A mediação será feita por Alvaro do Cabo, doutor em História Comparada pela UFRJ.

Para terminar o segundo dia de evento, às 18h30, Edson Mauro (radialista e narrador esportivo da Rádio Globo) e Luis Roberto (jornalista e narrador do SporTV) vão chegar cheios de energia para dividir histórias e experiências na mesa “Os artistas do jogo e o Maracanã”. O moderador será Ronaldo Helal, professor titular da FCS/UERJ e coordenador do LEME.

O terceiro e último dia do #Maraca70 começará com um tema imperdível. Às 16h, Vivian Fonseca (historiadora e professora da UERJ e da FGV), Arlei Damo (antropólogo e professor da UFRGS) e Antônio Jorge Soares (professor titular da UFRJ) são os nomes escalados para a mesa “Maracanã: patrimônio cultural e palco de megaeventos”. Doutor em Comunicação pela UERJ e apresentador do podcast Passes & Impasses, Filipe Mostaro cuidará da mediação dessa mesa.

Para fechar o Seminário com chave de ouro, às 18h30, Juca Kfouri (escritor e jornalista) e Marcelo Barreto (jornalista, editor-chefe e apresentador do Redação SporTV), que sempre têm análises e comentários precisos sobre as partidas que acontecem no Maraca, vão falar sobre a relação da imprensa com o estádio. A mediação dessa conferência de encerramento ficará a cargo do professor Ricardo Freitas, vice-diretor da FCS/UERJ e coordenador do Laboratório de Comunicação, Cidade e Consumo (Lacon).

O evento será transmitido pelo canal do LEME no YouTube. Ao longo das transmissões, serão disponibilizados formulários para quem desejar obter certificado de participação no evento. A programação completa pode ser conferida aqui.