Artigos

A surpresa da Copa de 2014, segundo Bernardo Buarque de Hollanda.

As relações entre política e megaeventos esportivos cada vez mais são permeadas pelo planejamento e controle de narrativas e decisões, tanto pela classe política quanto pelos grandes veículos de comunicação.

No entanto, o cientista social e professor da Fundação Getúlio Vargas, Bernardo Buarque de Hollanda, destaca que a Copa do Mundo de 2014, sobretudo, inverteu o que a opinião pública esperava: sucesso dentro de campo e caos na organização. Aconteceu o inverso: a avaliação geral da organização da Copa do Mundo alcançou níveis satisfatórios segundo turistas e brasileiros que circulavam pelas cidades-sede, e o 7 a 1 foi um choque apesar da superioridade técnica da Alemanha l, em comparação à seleção brasileira, ser um consenso entre os torcedores e jornalistas esportivos.

Essa imprevisibilidade foi o tema de mais uma parte da entrevista de Bernardo Buarque de Hollanda ao LEME. Apesar da tragédia para o futebol brasileiro e para a identidade do povo brasileiro com um de seus principais patrimônios, a surpresa e a inversão de expectativas não deixa de ser algo “belo”, para o professor, diante de um cenário atual de previsibilidade, pouca pluralidade e controle sobre as narrativas por aspectos tecnológicos, de discurso, planejamento e estratégia.

Confira mais uma parte da entrevista de Bernardo Buarque de Hollanda ao LEME:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s