Artigos

As derrotas nas Copas de 1950 e 2014 segundo José Carlos Marques

O Laboratório de Estudos em Mídia e Esporte (LEME) divulgou, nesta quinta-feira, a segunda parte da entrevista concedida pelo pesquisador da UNESP, José Carlos Marques, durante o INTERCOM 2015, congresso de comunicação realizado no Rio de Janeiro, em setembro.

Ao comparar as derrotas mais impactantes da seleção Brasileira na história das Copas do Mundo, Zeca Marques ressaltou as diferenças de repercussão na mídia sobre o “Maracanzo” e o “Mineratzen” assim como os meios de comunicação na atualidade alavancaram a perplexidade do mundo do futebol a cada gol alemão que estufava as redes brasileiras:

“A cobertura imediata após o jogo Brasil 1×2 Uruguai pela imprensa não faz a construção da narrativa que foi desenvolvida a posteriori. As revistas da época não incriminaram o Barbosa, Bigode, Juvenal… e não existe a noção de que aquilo foi uma tragédia. Em 2014, parece que o choque do “7 a 1″ foi simultâneo ao fato. As pessoas puderam acompanhar o jogo pela televisão, pela internet ou rádio. Em 1950, pela incipiência dos meios, se comparados aos tempos atuais, a cobertura não foi tão massiva.”

José Carlos Marques é professor do departamento de Ciências Humanas da Faculdade de Artes, Arquitetura e Comunicação do campus de Bauru da UNESP e foi um dos quatro pesquisadores entrevistados pelo Laboratório de Estudos em Mídia e Esporte durante o INTERCOM 2015. Para ver esse e outros vídeos produzidos pela equipe do LEME, é só acessar nosso canal no Youtube.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s