Artigos

Curiosidades sobre as seleções esquentam a preparação para Copa no Brasil

Na Copa do Mundo de 2014, o Brasil terá a oportunidade de entrar para um seleto grupo: o de países que conquistaram o principal torneio de futebol do planeta como anfitriões. Formam esse grupo as seleções do Uruguai, da Inglaterra, França, Alemanha, Argentina e Itália. Mas com essa Copa, o Brasil também faz parte de um grupo ainda menor: o de países que sediaram duas vezes o mundial; composto por México (1970 e 1986), Itália (1934 e 1990), França (1938 e 1998) e Alemanha (1974 e 2006).

O Brasil é franco favorito para levantar a taça e se tornar hexacampeão, mas para isso ele precisará ultrapassar a pressão de jogar em casa, os fantasmas de outras Copas (como o Uruguai) e quebrar uma escrita perturbante: todas as vezes que o Brasil foi campeão das Copas das Confederações (1997, 2005 e 2009) ele perdeu a Copa do Mundo (1998 contra a França na final; 2006 contra a mesma França nas quartas de final; 2010 contra a Holanda também nas quartas). A esperança do “país do futebol” é que esse fato não passe de uma coincidência e que, mesmo após a vitória da Copa das Confederações do ano passado, o Brasil se consagre campeão do Mundo.

Porém, não é só a seleção brasileira que possui detalhes e fatos históricos. Por isso, aqui vão algumas observações sobre as 32 seleções que estarão presentes no Mundial de 2014.

Como primeira adversária do Brasil, a Croácia chega confiante ao Mundial e para muitos passará em segundo lugar do grupo, atrás do Brasil, é claro. Mais um detalhe interessante sobre a seleção é a origem de seu uniforme tão diferente e único. A origem do xadrez vermelho e branco possui diferentes versões. A primeira é que o xadrez seria referente a duas etnias, a Croácia Vermelha e a Croácia Branca, que compõem a população do país. A segunda é que o padrão deriva da própria formação do povo croata que teria saído do Irã rumo à Europa e por isso adotou essas cores para auxiliar a identificação e o direcionamento da trajetória. A terceira seria uma homenagem a uma vitória épica do rei croata Stjepan Drzislav em uma partida de xadrez. Seja qual for a origem, o uniforme da seleção já se tornou uma característica inerente ao país.

Outra seleção do grupo do Brasil é o México, um adversário chato para nossa seleção. Mas o fato mais engraçado dessa seleção aconteceu em 1994, nos Estados Unidos. No jogo contra a Bulgária, o defensor mexicano Marcelino Bernal tentou salvar uma bola, mas exagerou tanto na força que acabou quebrando a trave.

A seleção camaronesa é a seleção africana com mais participações em Copas do Mundo, 6, e até hoje mantem o recorde de jogador mais velho a jogar e marcar um gol em Copa do Mundo. Com 42 anos, Roger Milla, maior craque da seleção, balançou a rede na derrota dos africanos por 6 a 1 contra a Rússia. A melhor campanha do Leões Indomáveis foi em 1990, quando a seleção bateu a favorita Argentina na estreia e chegou às quartas de final, melhor campanha da equipe até hoje.

A atual campeã do Mundo chega ao Brasil com 16 jogadores que conquistaram o título em 2010 e bateu o recorde da França, que havia levado 13 jogadores em 2002 que levantaram a taça em 1998. Antes de ser tornar campeã, a melhor campanha da Espanha tinha apenas o quarto lugar, justamente da primeira Copa no Brasil, em 1950. Quem sabe ela não repete o mesmo feito?

Uma pergunta que muitas pessoas se fazem é: porque o uniforme da seleção holandesa é laranja se as cores de sua bandeira são azul, branca e vermelha? Conhecida como Laranja Mecânica por sua incrível campanha em 1974, o uniforme é referente a cor da dinastia de Orange (laranja, em português), da família real da Holanda, que começou em 1544 e continua até hoje com a rainha Beatriz.

Um fato histórico da seleção chilena é que ela foi uma das poucas seleções a ser banida pela FIFA e proibida de jogar na Copa do Mundo. Isso aconteceu porque nas eliminatórias para a Copa de 90, no jogo contra o Brasil, o goleiro Roberto Rojas fingiu estar seriamente ferido por um rojão que foi jogado pela torcida brasileira para forçar o abandono da partida. Após rever as imagens, a FIFA considerou que a atitude do goleiro e da seleção chilena foram inaceitáveis e baniu a seleção, que só pode voltar a uma Copa em 1998.

Talvez a seleção mais desacreditada do grupo B, a Austrália não tem muita tradição no futebol, tendo sua melhor campanha em Copas do Mundo em 2006, quando chegou às oitavas de final. Duas curiosidades sobre essa seleção: das 4 participações em mundiais, duas foram na Alemanha e a seleção australiana é responsável pela maior goleada da história das eliminatórias, ela venceu a Samoa Americana pelo placar de 31 X 0.

A seleção colombiana, que teve 4 cortes para a Copa do Mundo, a mais importante delas foi o desfalque do principal jogador da seleção Falcão Garcia, chega ao mesmo tempo abalada pelos problemas físicos e ao mesmo tempo animada, pois não joga uma Copa do Mundo desde 1998. Tem o time mais velho da competição, 28,6 de média e jogador mais velho. O goleiro reserva Faryd Mondragón  completará 43 anos no dia 21 de junho e, se entrar em campo, será o jogador mais velho a jogar em uma Copa, ultrapassando o jogador camaronês Roger Milla que tinha 42 anos em sua última participação em um mundial.

A seleção grega não é uma seleção de muita expressão, participou apenas de duas Copas do Mundo e sua primeira vitória na competição aconteceu em 2010, mas isso não impediu a desclassificação ainda na fase de grupos. No entanto, seu título de maior expressão foi a vitória da Eurocopa em 2004 sofre os donos da casa Portugal. A Grécia fez uma excelente campanha nas eliminatórias da Copa, foram nove vitórias, dois empates e apenas uma derrota. Como a seleção não está em um grupo muito forte ela pode com sua boa defesa e seus contra-ataques surpreender e chegar às oitavas.

Outra seleção do grupo C é a Costa do Marfim, que tem o pelido de “Os Elefantes” em alusão ao animal símbolo do país. Apesar de ser comumente chamada de Costa do Marfim em português, o governo marfinês solicitou à comunidade internacional em outubro de 1985 que o país seja designado apenas por Côte d’Ivoire.

No Japão, o futebol é o terceiro esporte mais praticado no país. Mesmo não sendo o esporte mais popular, essa será a 5 participação seguida da seleção. É a única seleção de fora do continente americano que já disputou a Copa América, sendo eliminada na primeira fase em 1999. Em 2011 também deveria participar mas preferiu desistir, pois o país ainda sofria as consequências de um devastador terremoto. No entanto, a Conmebol já divulgou que a seleção participará da Copa América de 2015, no Chile.

“La Celeste” chega ao Brasil abalada e preocupada com a condição física de seu principal jogador Luiz Soares, mas eles têm um fato histórico em seu favor. Em 1950 eles foram campeões em cima do Brasil, dentro do Maracanã, o que hoje a imprensa esportiva chama de fantasma do Maracanazzo. O dever da nossa seleção é mostrar que não temos medo de fantasmas e espantarmos eles para longe.

Podemos dizer que a seleção mais azarada dessa Copa é a seleção da Costa Rica que, não só caiu no considerado grupo da morte como vai enfrentar nada mais do que 3 campeãs mundiais logo na primeira fase. É a primeira vez que 3 seleções que já ganharam o título fazem parte do mesmo grupo: Uruguai, Inglaterra e Itália não terão vida fácil já que apenas duas seleções passaram de fase.

A seleção inglesa foi uma das a ganhar o título mundial em casa, no entanto o último bom resultado da equipe foi em 1990 quando a seleção chegou às semifinais.

Considerada a ”rainha dos empates”, a seleção italiana chega a Copa no Brasil com muitas dúvidas sobre como será sua campanha. A última Copa foi um desastre para a seleção, ela foi eliminada pela primeira vez na fase de grupos e repetiu o feito negativo da final da Capa de 70 e tomou 3 gols em um jogo. Essa foi a pior defesa que a seleção apresentou em 40 anos.

A seleção Suíça vai jogar sua décima Copa, a segunda no Brasil, mas diferentemente de 1950 a Suíça chega a essa Copa como cabeça de chave devido sua posição no ranking da FIFA. A seleção tentará repetir ou quem sabe superar sua melhor colocação em Copas do Mundo o sexto lugar que, coincidentemente aconteceu em solo brasileiro.

Com apenas 3 participações em copa do mundo, o Equador chega querendo mostrar serviço nesse mundial. Ele não terá vida fácil no grupo E que também conta coma França, a Suíça e Honduras. Um fato bem a parte do futebol, mas que relaciona Honduras de Equador é ambas são os principais produtores de banana. Copa do Mundo também serve para conhecimentos econômicos.

Em sua terceira participação, a seleção hondurenha terá o desafio de vencer seu primeiro jogo em mundiais. A expectativa do técnico Luis Fernando Suárez é superar a péssima campanha da equipe em 2010, que foi eliminada na fase de grupos sem marcar nenhum gol.

A famosa algoz da seleção brasileira, a França, vem par sua 12ª participação em Copas com um número interessante. Ela é o país que mais “cedeu” jogadores a outras seleções, só na Argélia, 18 jogadores franceses se naturalizaram argelinos para jogar pela seleção.  No total, serão 27 jogadores franceses jogando por outras seleções nesse mundial.

A bicampeã Argentina chega a Copa como umas das principais candidatas ao título, com um dos candidatos a craque da Copa no elenco e como queridinha de muitos torcedores para perder na final contra o Brasil dentro do Maracanã. No entanto há torcedor que prefira que a seleção tenha o mesmo desempenho de 2002, em que também era candidata ao título e acabou eliminada na primeira fase. Seja qual for o destino do Hermanos, os brasileiros ficarão estonteantes de felicidade em ver sua rival sul americana perder em solo brasileiro.

Apesar de sua primeira participação em Copas do Mundo a seleção da Bósnia e Herzegovina chega entusiasmada no Brasil após uma extraordinária campanha nas eliminatórias europeias.

O Irã irá participar pela terceira vez de uma Copa do Mundo, mas a Copa mais importante para a seleção foi a de 1998. No sorteio dos grupos, a seleção iraniana caiu no mesmo grupo dos Estados Unidos, o que gerou muita ansiedade antes do jogo devido a ligação política tensa entre os dois países. Felizmente, as duas seleções jogaram respeitosamente e por obra do destino a primeira vitória da seleção iraniana em uma Copa foi justamente sobre a seleção americana.

O objetivo da seleção da Nigéria no Brasil é chegar pelo menos às oitavas de final, fato que não acontece desde 1998. Em sua quinta participação, a intenção das “Super Águias” e voltar ao Brasil e mostrar um futebol melhor do que o apresentado na Copas das Confederações, em que ficou na primeira fase.

A seleção alemã marcou 190 gols em 881 jogos e um jogador específico está ansioso para aumentar essa marca e conquistar uma meta pessoal.  Misroslav Klose possui 14 gols em Copas do Mundo e pretende passar a marca do Ronaldo Fenômeno, que em 2006 atingiu a marca de 15 gols e se tornou o maior artilheiro em Copas do Mundo. Brasil e Alemanha são os maiores finalistas de todos os tempos, as duas seleções chegaram 7 vezes em finais de Copas do Mundo, marca que pode continuar empatada se ambas chegarem a final ou desempatar em 2014.

Com a classificação definida aos “45 minutos do segundo tempo”, Portugal chega ao Brasil com opiniões dividas. A seleção, que só conquistou sua vaga para a Copa na repescagem, ainda está preocupada com as condições físicas do craque Cristiano Ronaldo, que tem a responsabilidade de pelo menos alcançar a melhor campanha da equipe, que foi o quarto lugar em 2002, na Alemanha.

Classificada para sua terceira Copa, a seleção de Gana chega com o time mais jovem do campeonato e com certa moral no Brasil. Em sua última participação, o time protagonizou um dos jogos mais emocionantes da Copa na África do Sul. O jogo contra o Uruguai teve gol defendido com a mão pelo jogador Luiz Suares, o que resultou em sua expulsão e na marcação de um pênalti para Gana que desempataria a partida. Mas o jogador Gyan chutou na trave e a partida foi decidida nos pênaltis, levando a seleção uruguaia às semifinais.

Com 100% de aproveitamento nos jogos em casa nas eliminatórias, a seleção americana chega a sua sétima Copa como a seleção que vai correr por fora e brigar por uma vaga nas oitavas de finais. No entanto, além de enfrentar a Gana, Portugal e Alemanha a seleção também terá que enfrentar as longas viagens entres os jogos, pois jogará em Natal, Manaus e Recife respectivamente.

Apesar da seleção belga não ter participado das duas últimas Copas, ela vem para sua 11ª participação e chega com muitas expectativas. A excepcional campanha nas eliminatórias é um dos motivos que incentiva os jogadores a buscarem a melhor campanha da seleção e bater o quarto lugar de 1986.

A Argélia é a segunda seleção na história da Copa do Mundo que terá 23 atletas de 23 clubes diferentes — a primeira foi a Sérvia, quatro anos atrás. Sem conta que 18 jogadores são franceses naturalizados argelinos.

A seleção russa tem nove participações em Copas do Mundo e se classificou direto para o mundial no Brasil, obrigando Portugal a disputar a vaga na repescagem. Um fato interessante dessa seleção é que todos os jogadores convocados da Rússia jogam no próprio país.

A Coreia do Sul tem uma história bastante interessante no futebol. Ela nunca foi uma seleção de destaque em relação ao torneio mundial, mas ao conseguir se classificar 5 vezes seguidas para uma Copa do Mundo se tornou uma referência do futebol asiático. O próximo mundial será o nono da seleção coreana e seu objetivo é alcançar sua melhor campanha quando chegou ao quarto lugar na Copa de 2002, sediada parcialmente em sua casa.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s